EXTRATERRESTREBLOG  SOFÄ DA SALA | BLOG BRAZIL WEIRD NEWS

 


       

 

 


 

 

extraterrestre, mistérios, ufologia

O MISTÉRIO DAS CAIXAS ALIENÍGENAS


tradução. & adaptação.: Lygia Cabus . Fevereiro, 2010

FONTES:

MASKO, Dave. UFO sightings reveal more strange metal boxes along coastal beaches

IN HULIQ (Hickory, North Carolina - USA), publicado em 08/02/2012

[http://www.huliq.com/10282/ufo-sightings-reveal-more-strange-metal-boxes-along-coastal-beaches]

......................  UFO inspired metal boxes still vex experts while someone is taking the boxes away

N HULIQ (Hickory, North Carolina - USA), publicado em 15/02/2012

[http://www.huliq.com/10282/ufo-inspired-metal-boxes-still-vex-experts-while-someone-taking-boxes-away]

 

 

 

São caixas. Não são muito grandes, não parecem pesadas todavia, não podem ser movidas com facilidade. Não saem do lugar nem mesmo presas a fortes correntes e puxadas por um caminhão. Desde o início de fevereiro (2012) estas misteriosas caixas vêm aparecendo ao longo da Costa Oeste norte-americana.

 


 

Esq.: Caixa fotografada no final da tarde 08 de fevereiro (2012) perto do Bray's Point, Oregon. Dir.: Um casal observa uma das caixas que apareceram no litoral de Oregon em 15 defevereiro (2012). Neste caso, o local é a praia de Florence. Fotos: Dave Masko

 

 

Bray's Point, OREGON-USA. Começou em 06 de fevereiro (2012). As caixas começaram a aparecer. O especialista, doutor em ciências marinhas da Oregon State University - OSU, (Ph.D) Bill Hanshumaker declarou: Eu não sei o quê elas são mas é aconselhável que os praticantes do surf tomem cuidado.

 

Essas estranhas caixas de metal apareceram de repente ao longo das praias locais e parecem estar se multiplicando. A fotografia que anexei ao meu relatório (acima,esq.) foi feita na tarde de 08 de fevereiro em local próximo a Brays's Point. Outras caixas semelhantes foram localizadas em outros pontos da Costa Oeste.  

 

Não é a primeira ocorrência e não é um caso recente. O governo britânico também também fotografou objetos semelhantes no Sri Lanka (Ceilão) em 1990 e no começo dos anos de 2004 e 2005. Há relatos que remontam aos anos de 1950. Os relatórios britânicos antigos informam, ainda, que o surgimento das caixas coincide com avistamentos de OVNIs nas proximidades dos achados; aliás, as caixas foram documentadas justamente porque perecem ou pareceram, na época, ter ligação com os avistamentos.

 

 

MISTÉRIO

 

Documentos arquivados pelo governo britânico, disponíveis na internet, referem-se a OVNIs e mencionam as caixas do Sri Lanka descrevendo as como numerosas, sem aberturas, semelhantes em tamanho, coloração e forma em ocorrências testemunhadas por moradores das regiões litorâneas do Oceano Índico, como o Golfo de Bengala.

 

Nos estados do Oregon, Washington e norte da Califórnia (USA), as caixas estão sendo fotografadas, documentadas e analisadas por especialistas. Porém, os midia não dão importância ao assunto, destacando muito mais recentes tempestades que vêm ocorrendo no Oceano Pacífico e mesmo os estudiosos de OVNIs estão mais interessados em observar o céu em busca de naves espaciais.

 

 

INVESTIGAÇÃO 

 

Desta vez, apesar do descaso predominante, o 'caso das caixas' entrou na agenda da Oregon State University que, em geral, ocupa-se de baleias encalhadas e mortandade de peixes.

 

O campus da Oregon State University fica Newport (cidade insular localizada em Aquidneck Island, estado norte-americano de Rhode Island) situada a uma hora de carro de Corvallis (cidade do interior situada a oeste do estado do Oregon. Por sua localização, o campus é propício à investigação de fenômenos marinhos. 

 

Os especialistas dessa Universidade são encarregados pelos governos federal e estadual de monitorar as praias do litoral do Oregon, atividade que tornou-se mais importante depois do terremoto ocorrido no Japão (em março de 2011) que gerou o acúmulo, na região de uma enorme quantidade de detritos, resultantes marés posteriores ao sismo - de tal modo que tornou-se comum encontrar todo tipo de objeto naquela área.

 

Os peritos, então, buscaram, em primeiro lugar, identificar nas caixas algum tipo de inscrição ou símbolos que pudessem esclarecer sua origem e confirmassem a hipótese de poderiam ser parte daqueles detritos. Em vão.

 

Enquanto isso, moradores de Bray's Point fazem conjecturas e contam: 'Tudo o que sabemos é houve muita atividade no céu (neste começo de 2012). Os avistamentos de OVNIs têm sido mais freqüentes. As caixas começaram a aparecer um dia depois de terem ocorrido numerosos avistamentos de luzes brilhantes e o número desses avistamentos parece estar aumentando'.

 

 

 

OVNIS? JAMAIS!  

 

Os cientistas e porta-vozes governamentais investigam as caixas, como sempre, descartam enfaticamente qualquer relação dos objetos com OVNIs. Os relatórios britânicos, que eram mantidos em segredo desde a Segunda Guerra Mundial, tão logo foram divulgados na internet começaram a ser desacreditados pelos órgãos oficiais.


No entanto, existem declarações e minuciosas e registros que abrangem o período entre 1997 a 2005. São fotografias, desenhos e descrições de OVNIs assim como cartas que o Ministério da Defesa Britânico enviou para as testemunhas em resposta aos relatos sobre as caixas de metal. As versões das autoridades e polícia - do período - afirmam que as caixas são, provavelmente, containeres provenientes de navios de carga, embora a costa do Sri Lanka (país da Ásia, antigo Ceilão) e do Oregon não estejam rota de navios desse tipo.

 

 

ABDUÇÃO

 

Em um dos relatos contidos nos documentos britânicos divulgados, um homem afirma ter sido seqüestrado (abduzido) por alienígenas em outubro de 1998 depois de ter visto uma nave pairando sobre sua casa, situada no litoral. Esse homem conta, ainda, que testemunhou o lançamento de projéteis. O alvo era a praia e no dia seguinte, os projéteis estavam lá; eram como as caixas.


Segundo um observador de OVNIs identificado (na reportagem desta fonte, Huliq) apenas como Errol, as caixas têm a forma de um cubo, medem cerca de 20 cm de altura, cinco metros de largura e cinco metros de profundidade (extensão) e são, aparentemente, desprovidas de aberturas, completamente seladas.

 

Essa testemunha diz que viu mais de uma dessas caixas em Stonefield Beach, uma praia popular do Oregon. Mr. Errol acrescenta que as caixas não são móveis, ou seja, são muito pesadas, sólidas, metálicas e parecem ter surgido do nada. Há quem diga que, eventualmente, as caixas emitem um som agudo.

 

 

 

O SOM DAS CAIXAS


Ainda em Stonefield Beach, um dos depoentes que diz ter ouvido o silvo das caixas, identificado somente como Mr. Doris conta que tudo se passou em um domingo à noite e foi como se um alarme tivesse disparado: Era um som alto, estridente, assustador. O fato chamou a atenção porque apesar dos avistamentos de OVNIs na região, a praia é um lugar tranqüilo onde somente as gaivotas e o barulho das ondas quebram o silêncio nas horas avançadas da noite.  

 

 

PRAIA DE FLORENCE

Em 15 de fevereiro, um grupo de pessoas parou para observar mais uma daquelas caixas, na praia de Florence, ainda no estado do Oregon. Também ali, os moradores afirmam que os objetos apareceram do nada. Diante do mistério Bill Hanshumaker (cientista citado acima) é um dos poucos acadêmicos que arrisca opiniões.

Para aqueles que sugeriram que as caixas poderiam ser peças de fazendas de ostras japonesas arrastadas pelo Tsunami, Mr. Hanshumaker observa que a viagem entre o Japão e o Oregon implica uma travessia muito longa, cerca de 5 mil quilômetros.

 

Se houvesse ocorrido essa viagem, as caixas deveriam apresentar cracas marinhas, o que não foi verificado. Ao contrário, sete das caixas examinadas, encontradas próximas à praia de Florence, estão limpas embora apresentem uma estranha peculiaridade: estão envoltas em uma espécie de membrana que mostrou-se resistente às tentativas de remoção. 

 

 


ABAFEM O CASO

O aparecimento das caixas movimentou a população. Alguns cidadão acharam pertinente comunicar o fato à polícia local. Mas, a porta-voz do departamento de polícia local, identificada apenas como Mrs. Sarah disse, em entrevista à revista Huliq (fonte dessa reportagem) desconhecer o comunicado: Não recebemos quaisquer informações ou queixas sobre essas caixas.

A porta-voz informou, ainda, que o caso não pertence à jurisdição municipal alegando que - A costa do Oregon é considerada uma rodovia estadual. São as polícias estaduais que têm jurisdição sobre sobre a praia. Contatadas, as autoridades estaduais de Oregon, Washington e Califórnia também negaram a existência das caixas. Apesar desse desconhecimento, as mesmas autoridades advertiram que é ilegal qualquer pessoa apoderar-se de coisas encontradas nas áreas costeiras.

Porém, moradores de Florence alegam ter visto uma estranha ação de resgate: as caixas foram retiradas dos locais onde estavam demandando grande esforço de equipes, de quatro a seis pessoas, que utilizaram fortes correntes e caminhões brancos fechados onde foram colocados os objetos

 

 

 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

edições: Sofä da Sala
2008 | 2010 | fevereiro, 2012
ligiacabus@uol.com.br