MITOLOGIA  |  BLOG  SOFÄ DA SALA | BLOG BRAZIL WEIRD NEWS   | SOFÄ DA SALA NO FACEBOOK  privacidade

 


       

 

 


 

 

mistérios, mitologia, religião

28/10/2007

A MALDIÇÃO DOS ANJOS CAÍDOS
por
Lygia Cabus

      

 

 

IMAGENS: Seven Angels

 

A corrupção da raça humana, que começou a aparecer sobre a Terra no tempo de Enoch, cresceu monstruosamente até o tempo de Jared, neto do daquele profeta; e a razão da degeneração acelerada foi a Queda dos Anjos.

 

Quando os anjos viram o quanto eram belas as filhas dos homens, cobiçaram-nas e disseram: Escolheremos esposas para nós entre as filhas dos homens e teremos com elas uma geração.

Shemhazai, chefe dos anjos, disse: Eu temo; vocês colocarão este plano em prática mas eu, sozinho sofrerei as conseqüências deste grande pecado. E os outros responderam: Nós juramos em maldição, obrigamos a nós mesmos, individualmente e juntos; não abandonaremos o plano, antes, vamos levá-lo até o fim.

 

Assim, dois mil anjos desceram do pico do monte Hermon, que tem seu nome relacionado a este acontecimento arcaico, porque aqueles anjos se comprometeram com o pecado colocando-se, desta forma, sujeito à pena de Herem, anátema [maldição, excomunhão, condenação, ou seja, tornaram-se amaldiçoados].

Conduzidos por vinte líderes, aqueles anjos se tornaram impuros com as filhas dos homens; não somente por suas relações sexuais mas porque compartilharam com elas conhecimentos seletos: encantamentos, conjuração de fórmulas, conhecimento das plantas, [folhas, flores, raízes, grãos, a agricultura e a medicina].

 

 

O fruto dessas relações anjos-mulheres foi uma raça de gigantes [altos como três mil varas!] que consumiam todos os bens da humanidade. Quando tudo se havia acabado, quando nada mais havia para ser devorado ou destruído, os gigantes voltaram-se diretamente para os homens e devoraram muitos deles; também atacaram os pássaros, as bestas da terra, os répteis, os peixes, para comer sua carne e beber seu sangue. A Terra se ressentia com tais barbaridades mas os anjos caídos continuavam corrompendo a raça humana.

 

 

 

ENOCH & Antropogênese Mitológica

 

A história dos Anjos Caídos é uma das mais tradicionais entre as lendas da antropogênese mitológica judaica. Antropogênese mitológica porque estes Anjos estão intimamente relacionados, ainda que em dimensão mítica, com a evolução da raça humana. Eles foram e/ou são seres divinos [ou superiores] que se miscigenaram com seres terrenos; uma mistura genética.

 

As Bíblias cristãs, sejam católicas, protestantes ou evangélicas, não dão grande destaque a este fato, em tese, de grande importância antropológica e cultural. No Livro do Gênesis, a saga dos Anjos caídos se resolve em poucos parágrafos. Foi através do texto profético-religioso apócrifo, não reconhecido pelo Vaticano, o chamado Livro de Enoch, que a narrativa da Queda foi preservada com maiores detalhes.

 

O Livro de Enoch faz parte do conjunto de documentos denominado Manuscritos do Mar Morto ou de Qumram, encontrados em 1947, no Oriente Médio. É considerado um pseudo-epígrafo — ou de autoria incerta. Os fragmentos encontrados em Qumram foram paleograficamente datados em cerca de 200 antes de Cristo. Os originais, porém, podem ser muito mais antigos.

 

Enoch [Enoque, Chanoch ou Hanokh], sétima geração de Adão, foi um patriarca judeu, profeta e personagem místico. Filho de Jerde, pai de Matusalém, avô de Noé, foi aquele que andou com Deus, viveu 365 anos e não morreu como os homens comuns; desapareceu, porque foi arrebatado por Deus. No Targum de Yonatan, trecho das Escrituras Hebraicas, Enoch, elevado aos céus, foi transformado no anjo Metatron, cujo nome significa Mais Próximo ao Trono.

 

SABER + LIVRO DE ENOCH

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 




 

 



 

 

 

Artes & Ciências dos Anjos

 

 

Azazel ensinou aos homens as artes de fazer armas brancas, escudos e cotas de malha; porque sabia como trabalhar os metais nestas artes. Mas também ensinou o artesanato das jóias, como os braceletes, os anéis, colares, brincos etc.. Esse mesmo anjo de vocação bélica também revelou segredos da beleza: a cosmética, a maquiagem, a joalheria.

Shemhazai, o chefe dos anjos caídos, era especialista em exorcismos e no conhecimento de raízes e suas diferentes utilizações. Armaros, legou aos homens o saber dos encantamentos; Barakel e Kawkabel, a vidência através das estrelas, a astrologia. Ezekeel, leitura da sorte nas nuvens; Arakiel, ensinou a ler os sinais da Terra; Samsaweel, conhecia os sinais do Sol e Seriel, os sinais da Lua.

 

Enquanto todas estas abominações degradavam a Terra, o pio [piedoso] Enoch vivia em um lugar secreto. Homem algum conhecia sua morada ou que tinha sido feito dele; porque ele estava vivendo com os anjos guardiães e os santos. Um dia, Enoch ouviu um chamado e uma voz lhe dizia:

Enoch, escriba da justiça, procura aqueles anjos que deixaram os mais altos e santos céus e que tornaram-se impuros, por si mesmos, unindo-se a mulheres, fazendo como fazem os homens, tomando esposas, espalhando o conhecimento das armas que são a destruição sobre a Terra.

 

Vai e proclama junto a aqueles anjos que eles não encontrarão paz ou perdão. Eles, que têm se gratificado com a própria prole, verão seus filhos morrer de morte violenta, verão a ruína de seus filhos. Eles vão implorar a misericórdia, mas não a encontrarão.

 

Então, Enoch foi ao encontro de Azazel e dos outros anjos caídos para anunciar a maldição proferida.; e todos eles foram tomados de terror. Tremendo e temendo, imploraram a Enoch que levasse ao Senhor dos Céus uma petição, porque já não podiam falar com Deus diretamente, como outrora, sequer podiam elevar os olhos para o céu por causa da vergonha de seus pecados.

 

Enoch concordou com o pedido e teve uma visão na qual obteve a resposta à requisição dos anjos. Pareceu-lhe que flutuava sobre nuvens até que se viu sentado diante do trono de Deus; e Deus disse:

Vai. Diga aos anjos que desceram dos céus, àqueles que te enviaram para intercedesses por eles; para que você interceda em benefício dos homens e não os homens em seu benefício [ou um homem intercede pelos anjos e não os anjos pelo homem]. Por quê estes anjos abandonaram o céu, abandonaram aquilo que é santo e elevado, eterno, e tornaram-se impuros misturando-se com as filhas dos homens, fazendo como as raças da Terra e, ainda, engendrando uma raça de gigantes?

 

Os gigantes são feitos de carne e seus espíritos serão chamados espíritos do mal sobre a Terra; Terra que é o seu lugar de morada... Serão espíritos devoradores, opressores, e suas guerras causarão angústia e destruição sobre a Terra. Não comerão, nada beberão e serão invisíveis. Estes espíritos vão se levantar contra os filhos dos homens e suas mulheres porque nasceram deles... Não, [anjos rebeldes], vocês não terão paz.

 

Queda... RUMO À CIVILIZAÇÃO

A Queda dos Anjos é um episódio dos mais curiosos pelo que revela da natureza dos anjos e e seu papel fundamental na transformação da vida humana na face da Terra. De acordo com a lenda, estes anjos, chamados Watchers ou Vigilantes, ou ainda, Observadores, perverteram-se, em princípio, sexualmente, pois "deitaram-se com as filhas dos homens".

 

A seguir, todavia, eles se tornam perversores de toda a Humanidade, já que foram os mestres de todas as artes que retiram o homem de uma condição de vida, aparentemente ingênua e modesta, limitada aos recursos que a natureza oferece. Foi através dos anjos caídos que os homens se refinaram a fabricação de armas e a prática da guerra.

 

Além das artes bélicas, é interessante notar o ministério de Azazel, ensinando os segredos da beleza que alimenta a vaidade: uso de jóias, maquiagem nos olhos, tinturas. Os outros anjos, foram mestres de feitiçaria e, a essa altura, uma nuvem de suspeita paira sobre a suposta pureza daqueles anjos Guardiães, já eram tão versados em encantamentos e ciências ocultas em geral.

 

Há estudiosos e teóricos mais ousados que lançam em discussão a hipótese de que tais anjos poderiam ser, na verdade, seres extraterrenos, muito mais avançados, que arrancaram a espécie humana da barbárie introduzindo neste mundo, os princípios da civilização.

FONTE COMPLEMENTAR: O Livro de Enoch. [Trad. Getúlio Elias Schanoski Jr.] — São Paulo: Madras, 2004.



 




      

 

edições: Sofä da Sala
2007 | outubro, 2012
ligiacabus@uol.com.br

ligiacabus@gmail.com