MUNDOS PERDIDOSBLOG  SOFÄ DA SALA | BLOG BRAZIL WEIRD NEWS | SOFÄ DA SALA NO FACEBOOK  privacidade

 


       

 

 


 

mundos perdidos

30/11/2006

O PARAÍSO NO PÓLO NORTE
Russian scientist finds Paradise at the North Pole

PRAVDA English - publicado em 29/11/2006

Trad. Lygia Cabus

 

    

 

 

 

Pólo Norte, único ponto de terra estável do planeta; único lugar que nunca muda, onde o Globo é "imóvel". Durante as eras glaciárias, coberto de gelo; no ápice do degelo do mundo, é a única "terra seca", quando toda a Terra é um "deserto de águas". Acima, o mapa do pólo norte, do século XVI, do holandês Gerhardus Mercartor.

 

O doutor em filosofia Valery Dyemin, pesquisador de região Ártica, acredita que o continente Hiperbóreo (além de Bóreas, o vento norte), uma terra mítica que os gregos pensavam estar localizada além da Sítia, existiu de fato. Na entrevista abaixo, Dyemin fala sobre sobre a realidade do mito:


P: Além do senhor, existem outros cientistas que se interessaram pelo mistério do continente Hiperbóreo?

DYEMIN: Sim, existem muitos. Não apenas geógrafos e historiadores mas também lingüístas têm feito relevantes contribuições. O reitor da Universidade de Boston, William Warren, publicou um livro chamado Paradise Found at the North Pole, no fim do século XIX (século 19).

 

O livro teve 11 edições. Warren analisa o grande número de relatos da tradição oral, das lendas relacionadas ao "Paraíso na Terra", o Éden. Segundo esta análise todas a informações contidas nas tradições se referem a vagas recordações de uma terra antiga, perfeita, situada em algum lugar no Ártico.
 


Que região, mais precisamente, no Ártico?

DYEMIN: Eu acredito que traços dessa civilização podem ser encontrados na Eurásia e no ártico americano além das ilhas e arquipélagos do oceano Ártico, no leito de mares, rios e lagos.

 

Sabe que a Rússia possui um grande números de lugares e achados arqueológicos que podem estar relacionados à terra Hiperbórea.

 

Explorações atuais estão sendo feitas na Kola penísula, na ilha de Vaigach,em Karelia, nos montes Urais, no oeste da Sibéria, Khakasia (Cáucaso), Yakutia e outras regiões como Franz Josef Land, Taimyr e Yamal.
 


O continente Hiperbóreo pode estar submerso, como outras terras míticas (como Atlântida e Lemúria)?

DYEMIN: O cartógrafo e geógrafo holandês Gerhardus Mercartor tinha um mapa onde aparece um grande continente nas vizinhanças do pólo Norte. Esta terra está disposta como um arquipélago composto de numerosas ilhas limitadas entre si por rios profundos.

 

Uma montanha ocupa o centro do continente. Como esta indicação pode estar em um mapa do século XVI (anos 1500). Não há qualquer informação sobre este território na região ártica durante a idade Média. O arquipélago localiza-se no centro do oceano Ártico, que é representado sem gelo. Como podemos explicar isso?

 

 

 

O CONTINENTE HIPERBÓREO NA DOUTRINA SECRETA (TEOSOFIA)
Antropogênese
H.P. Blavatsky

...A região do atual Pólo Norte... (p 344) foi um continente naqueles tempos em que a magnólia florescia onde agora vemos um deserto de gelo sem fim... Nos primórdios da vida [humana] a única terra seca ficava no extremo direito da esfera [pólo Norte], ali onde [o Globo] é imóvel.

 

Toda a Terra era um imenso deserto líquido, e a água era morna... Ali nasceu o homem... Reinava uma eterna primavera nas trevas... Ali repousavam os deuses... (p 417) ...O primeiro continente que veio à existência cobria inteiramente o Pólo Norte (p 419)


O "Hiperbóreo" será o nome escolhido para o Segundo Continente, a terra que estendia seus promontórios ao Sul e ao Oeste a partir do Pólo Norte, para receber a Segunda Raça e que abrangia tudo o que hoje se conhece como Ásia do Norte...

 

Mas historicamente, ou melhor, talvez etnológica e geologicamente, o significado seja diferente. A terra dos hiperbóreos, o país que se estendia além de Bóreas, o deus de coração gelado das neves e dos furacões, que gostava de dormir pesadamente sobre as cordilheiras dos Montes Rifeus, não era um país ideal, como supõem os mitólogos, nem mesmo uma terra nas vizinhanças da Cítia e do Danúbio.* Era um Continente real, uma terra bona fide, que não conhecia o inverno naqueles tempos primitivos e cujos tristes remanescentes não têm, ainda hoje, mais que um dia e uma noite durante o ano. [BLAVATSKY.NET]

 

 

 

Juventude Eterna

Se possuímos um mapa tão antigo podemos supor que alguém mais tentou encontrar o continente Hiperbóreo no Ártico?

DYEMIN: Sim, muitos já se debruçaram sobre o mistério do continente desaparecido. A imperatriz da Rússia, Catarina II, obteve informações dessa terra mítica no círculo Ártico através da Maçonaria. Ela organizou duas expedições com ajuda de Mikhail Lomonosov. Os trabalhos foram cercados de segredo mas a inicativa fracassou com os navios impossibilitados de seguir adiante por causa do gêlo.

Por quê a imperatriz estava tão interessada no continente Hiperbóreo?

DYEMIN: Acredito que Catarina assim como outros reis e rainhas, estava encantada com a possibilidade de encontrar o "elixir da juventude eterna" que, segundo lendas, teria sido inventado pelos hiperbóreos. Plínio, Herótodo, Virgílio e Cícero escreveram que os habitantes do continente Hiperbóreo viviam milhares de anos felizes.

 

    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 




      

 

edições: Sofä da Sala
EDS 2006 / 2012
ligiacabus@gmail.com

 SOFÄ DA SALA NO FACEBOOK