notícia |  BLOG  |  ocultismo  |  livros-estudos neocodex  links-biblioteca  |  seu recado  |  ler recados  |  contatos |  privacidade


  

  

 





 

Cabala I ─ Algumas Palavras

HAMBLING, David. The Enlightened Ones

[http://www.forteantimes.com/features/articles/1957/the_enlightened_ones.html]

trad. & adaptação: ligiacabus@uol.com.br

 

 

 

Kabbalah, também grafado Cabala ou Qabbalah ─ é um termo geralmente definido como receber, recepção [veja o box]. É uma tradição de inteligência e interação de ciências que tratam do entendimento de Deus e do alcance da experiência mística pessoal. A bíblia da Cabala é o Sefer Zohar ou Book of Splendour [Livro do Esplendor], compilado, nos anos de 1280, na Espanha, por Moisés de Leon [Moses of Leon, em hebraico Moshe ben Shem-Tov ─ espanhol, rabino e Cabalista, 1250 – 1305].    

 

A teologia cabalística concebe o Universo como um sistema estruturado em dez princípios ou Os Dez Sephira que são atributos ou aspectos de Deus. Esses princípios são descritos como esferas através das quais a Luz Divina [energia] é transmitida à raça humana. Cada sephiroth toma sua forma de uma manifestação da luz divina e todos são-estão, simultaneamente, unidos e separados entre si, como raios projetados em direções e de modos diferentes porém, todos procedentes da mesma fonte, da mesma Luz, do mesmo Ponto.

 

Os Dez Sephirah relacionam-se mutuamente por meio de 22 caminhos [pontes, degraus, gradações]. A representação gráfica, geométrica, desse conjunto de esferas e caminhos configura-se em uma estrutura, um diagrama que é entendido como representação: 1. da Unidade Humana Primordial, o Adam Kadmon dos esotéricos; 2. da Árvore da Vida, sendo árvore uma alegoria para um sistema integrado de manifestação dos seres vivos que, em última instância, são Todos os seres que existem no Universo manifestado.

Adam Kadmon é o nome atribuído àquele-aquilo que foi-e-é o primeiro Ser criado, o Elo de União entre Deus e cada indivíduo, cada ser humano. Adam Kadmon é um propulsor ─ O Verbo  ─ da Criação e da Redenção do mundo. [A redenção refere-se a um tempo quando o mal, finalmente, será expurgado da experiência de realidade]. A partir da primeira emanação, forma-se a primeira esfera, primeira sephiroth, ainda singela, prima-obra; gradativamente, porém, ao longo das manifestações das outras esferas, distanciando-se do ponto de origem, a energia se adensa e alcança estados de matéria densa, bruta, complexa.  

 

As dez Sephirah acomodam Quatro Mundos ou, melhor definindo, quatro diferentes planos de existência, Reinos manifestados em inumeráveis formas e qualidades de matéria. A Humanidade existe no Segundo Reino, em um mundo físico, onde o denso-pesado predomina sobre o rarefeito, o sutil e leve. Nos mundos/planos Terceiro e Quarto habitam as hostes de Anjos e Demônios, cada qual [hoste, raça, grupo] com seus atributos particulares.

 

 

 

Nomes  

 

Os nomes são muito importantes na lógica da Cabala. As 22 letras do alfabeto hebraico seriam, literalmente, as unidades constituintes de todas as coisas do Universo. Deus teria criado Todas as Coisas por meio do ato de nomeá-las, dar nome a cada coisa. As combinações das letras, infinitas, podem expressar tudo o é, tudo o que já foi e, ainda, tudo o que pode vir a ser. 

 

Por causa desse valor criativo atribuído aos fonemas, a hermenêutica, a ciência da interpretação dos textos escritos, é muito importante na prática da Cabala, que se ocupa da difícil tarefa de decodificar ou desvendar os múltiplos significados ocultos nas escrituras hebraicas. A Cabala judaica [sim, porque outras culturas também desenvolveram sistemas cabalísticos de escrita e linguagem] utiliza três técnicas para interpretar as palavras e suas combinações:

Temura ─ Arte do anagramas. De encaixar uma palavra dentro da outra; um texto em outro, usando todas as letras em combinação diferente da mensagem original.

Gematria ─ Estabelece relação entre o fonema escrito [e/ou falado] com valores numéricos. Assim, palavras diferentes são semelhantes quando reduzidas [ou traduzidas] para seus valores numéricos. Palavras formam números e vice-versa guardando, desta forma, informações ocultas na álgebra das letras que formam um texto.



Notarokon ou Notarikon ─ Acrônimo, sigla. Palavras formadas com as letras ou sílabas iniciais de outras palavras formadoras de uma frase, de um dístico, de uma denominação composta ou conceito. Um acrônimo conhecido na magia ocidental á AGLA ─ Ateh Gibor le-Olam Adonai” – Thou art mighty forever, Lord  ou, em português, Vós sois poderoso para sempre, Senhor.

 

Outro famoso acrônimo famoso é o Peixe, a imagem, símbolo dos Cristãos primitivos, figura que remete à palavra grega ΙΧΘΥΣ, ichthus ─ acrônimo ou sigla da expressão: Iēsous Christos Theou Huios Sōtēr, Jesus Cristo, Filho de Deus, Salvador. A Notarikon é a técnica de produzir e encontrar essas abreviaturas ocultas em  um texto.

 

 

Magia Cabalística

Durante a Renascença, cabalista dedicados empenharam-se no exame cuidadoso dos labirínticos textos herméticos que encerram palavras e números ocultos entre outras tantas palavras e números. O objetivo maior desses cabalistas era revelar Verdades secretas, respostas camufladas em Escrituras Sagradas [especialmente os hebraicos] em fórmulas de anagramas, acrônimos e correspondências numéricas. Os Cabalistas renascentistas, judeus e não-judeus, queriam descobrir os muitos e mais poderosos nomes de Deus.

Ao longo de exaustivas pesquisas, esses estudiosos acreditaram ter estabelecido, por exemplo, o número exato de Anjos no Universo: 301 milhões, 655 mil e 172 anjos! Hoje, os cabalistas contam com uma ferramenta poderosa para proceder às suas análises hermenêuticas e algébricas: o computador, tecnologia capaz de produzir rapidamente resultados antes inimagináveis, como encontrar e decifrar o chamado Código da Bíblia, façanha que ocupou manchetes e foi tema de best-seller mundial em anos recentes.

A Cabala prática, em obra clássica, o Sefer Zohar [Livro do Esplendor, supracitado como a Bíblia da Cabala] contém detalhes sobre como se comunicar com as forças ocultas, como comandar os anjos e os demônios para interferir nos fenômenos da natureza, como curar certas doenças, maldições, combater inimigos, predizer o futuro e realizar outros prodígios.

 

Link Relacionado: O Poder da Palavra e a Reprogramação do DNA

Fonte Complementar: PAPUS. A Cabala: Tradição Secreta do Ocidente. São Paulo: Pensamento, 1899 In Google Books.

 

 


Cabala: Significado do Termo

 

Papus define Cabala como "o que é recebido". Outros autores dizem que significa revelação, Tradição:

 

Antes de mais nada, precisemos o sentido da palavra Cabala. Esta palavra tem dois sentidos, conforme a maneira de escrevê-la: como os judeus, com Q, isto é, com a vigésima letra do alfabeto assírio... significa Transmissão, Tradição... [Escrita com C], significa Poder... [mais especificamente]... Lh, XXII + Caba [decompõe-se em C=20 e B=2, ou 22]... A palavra Cabala, tal como a compreendemos, significa Alfabeto dos XXII Poderes ou ─ o poder das vinte e duas letras desse alfabeto. [PAPUS, 1899]

 

 

 

Sephirah é o plural de Sephiroth. A palavra, hebraica, significa número, cifra.

 

 

shopping uol compare preços  
PACOTE OFERTA IMPERDÍVEL:
Bento & Vampiro Rei I e II
de André Vianco 

 

 

 






 

 

 

 

edição: Sofä da Sala
agosto, 2009