OCULTISMOBLOG  SOFÄ DA SALA | BLOG BRAZIL WEIRD NEWS  | SOFÄ DA SALA NO FACEBOOK  |  privacidade

 


       

 

 


 

 

TRATADO ELEMENTAR DE MAGIA PRÁTICA
Gerard Anaclet Vincent Encausse
Papus - [trad. d E.P.]
São Paulo: Ed. Pensamento, 1995

VOLUME II - PARTE 2 DO ESTUDO - PRÁTICA

      

PAPUS (OU Papi)

Ocultista destacado do século XIX, 

médico brilhante, reuniu tradições mágicas 

e conhecimentos científicos 

em obras fundamentais 

para estudantes de Ciências Ocultas.

TRECHOS SELECIONADOS & COMENTÁRIOS

Cap. V - Introdução
a realização do homem

5.1. Alimentação

5.2. Vegetarianismo

5.3. Regime Animal

5.4. Excitantes Materiais

5.5. Álcool

5.6. Café

5.7. Chá

5.8. Haschisch

5.9. Respiração

5.10. Respiração II
como usar - dicas de Papus

5.11. Educação do Ser Psíquico
Corpo Astral e Alma Astral

5.12. Educação do Homem Mineral-Vegetal

5.13. Educação do Homem Animal

5.13. Educação do Homem Racional

5.14. O Amor na Formação do Mago

5.15. Sexo & Castidade

 

***

CAPÍTULO V - Introdução
 a realização do homem



IMAGEM

http://www.iol.ie/~taeger/alexgrey/alexmind.gif

IN  forum.avantlabs.com/ index.php?act=ST&f=1&t=1222

 

Neste capítulo, Papus trata das práticas que o estudante de magia deve adotar a fim de obter o preparo físico, psíquico, psicológico e espiritual necessários ao exercício dos chamados "poderes mágicos" ou faculdades metafísicas. O autor fala da alimentação, dos excitantes, da meditação, da educação dos sentidos e da inteligência.

 

Antes de agir sobre a natureza, o homem deverá ser suficientemente senhor de si mesmo para resistir às emoções de seu ser impulsivo. Um cavaleiro controla seu cavalo usando as rédeas. O homem controla o ser impulsivo usando força nervosa. A qualidade da força nervosa determina o grau de domínio do homem verdadeiro sobre o homem animal. Ora, a qualidade da força nervosa depende da qualidade dos alimentos, da qualidade do ar e do ritmo respiratório.

 

O preparo de um mago inclui, portanto, além de cuidados alimentares, exercícios como a meditação e outros mais que servem para educar os sentidos (percepção) e a expressão (manifestação da vontade). A educação do olhar, com o emprego dos espelho e prática de contemplação; educação da palavra, para que seja clara, concisa e com inflexão firme; educação do gesto, origem dos pentáculos (traçado de símbolos), educação do andar e gestos de modo geral. p 126

 

Alimentação

Depois do que foi dito podemos perceber a importância que assume a questão dos alimentos para o magista. O ideal a atingir por aquele que se sujeita ao regimen de alimentação preconizado pela Magia, consiste em pôr à disposição da vontade a maior quantidade possível de força nervosa em um tempo dado.

Quando o mago atinge o nível de força realmente satisfatório ele atinge também aquilo que se chama LIBERDADE DE ESPÍRITO. O espírito livre tem condições de dispor, com segurança, de uma enorme quantidade de fluido nervoso. Este estado se manifesta principalmente pela manhã ou em jejum, isto é, nos momentos em que o ser humano está menos ocupado com o trabalho fisiológico do organismo, sobretudo a digestão. p 127

Para fixar bem nossas idéias, representemos o ser humano como um balão que pode alcançar diversas alturas conforme o peso maior ou menor que serve de lastro. O balão é o espírito; o lastro ou peso é o corpo, o organismo; as cordas são a força nervosa. ...Um pré-requisito dos mais importantes para se alcançar a liberdade de espírito é justamente a diminuição do peso do organismo (e este peso se refere não só à massa física, mas também à massa de pensamentos que tencionam a mente).

Isso não significa passar fome. As práticas místicas relativas ao corpo devem ser controladas, devem ser periódicas, nunca contínuas. ...Pode-se treinar progressivamente para libertar uma quantidade cada vez maior de força nervosa ...sob a condição de não esquecer que a reposição da força nervosa depende da absorção de alimentos.

O estado de saúde física é obtido por um harmonioso equilíbrio entre o espírito e o organismo. Quando, sem transição, o ser voluntarioso, a Vontade se sobrepõe ao corpo, há o perigo de desfalecimento e loucura. A situação contrária, do organismo que oprime o espírito, resulta em sonolência e embrutecimento.

Suponhamos que, estando em jejum, fazemos uma refeição abundante e pesada. À medida que a sensação de satisfação do estômago se estabelece, as idéias se obscurecem. Isso ocorre porque, a força nervosa que estava a serviço do espírito passa a ser usada pela esfera instintiva do ser humano; a força nervosa vai ser empregada na digestão.

O homem instintivo, para quem a satisfação do apetite constitui uma das formas de felicidade, deixa-se seduzir por esses gozos de embrutecimento progressivo e ainda favorece este embrutecimento entregando-se ao sono pós refeição, a sesta. Semelhante indivíduo está inteiramente escravizado ao seu organismo e não conseguiria realizar qualquer operação mágica. p 127 - 128 - 129

 

IMAGEM: 

Pesquisa Google Imagens

word key: wood

 

Vegetarianismo

A educação do magista passa por períodos de preparação pessoal que tornam o estudante apto a realizar operações mágicas. Estes períodos variam entre 7 e 40 dias. Nestas épocas, o regimen vegetariano deve ser o único a ser empregado.

Isso tem sua razão de ser: o homem orgânico é uma criação da natureza que deve estar a serviço do homem-espírito. Em sua experiência terrena o organismo humano possui um centro vital animal no peito e um centro vital vegetal no abdômen.

Os alimentos vegetais agem quase que unicamente no homem instintivo e seu emprego constante produz CALMA ORGÂNICA, FÍSICA. Um organismo assim preparado, alimentado com vegetais, não oferece muita resistência à FORÇA DE VONTADE.

Se quereis vos abandonar aos sonhos e experimentar sensações que nunca serão saturadas pelo tédio, tomais como meio ambiente o CAMPO e adotai como regimen alimentar o vegetarianismo. Tende o cuidado de beber somente leite ou água e logo vereis como uma paz profunda se instala no ser outrora agitado.

Mas se desejais ir mais longe e fazer nascer em vós faculdades transcendentais adormecidas, acrescentai a este regimen o CHÁ, várias vezes ao dia e praticai, pela manhã e à noite, a MEDITAÇÃO durante uma hora ou hora e meia e estareis em condições de conseguir fenômenos muito nítidos de telepatia e visão do astral.

O regime vegetariano que exclui o peixe, a carne e o álcool, sendo usado no campo ou em meio análogo, livre de toda preocupação material, pode ser usado durante longos anos sem nenhum perigo. A princípio, o estudante deve exercitar-se em períodos curtos, de 7 dias; depois, passará a 15 dias e assim por diante. Nos regimes vegetarianos de longa duração admitem leite, ovos e queijo. Quando se pretende realizar uma operação mágica, ovos e queijo são suprimidos. Este é o chamado "regime pitagórico".

O clima deve ser levado em consideração quando se estabelece o regime alimentar. Nas regiões frias o organismo precisa de mais gorduras. Nas regiões quentes, tropicais e equatoriais, como Egito e Índia, a energia solar supre boa parte da necessidade energética do corpo e por isso, uma porção de arroz é suficiente como prato principal ao longo de um dia. Em outras palavras, não se pode impor a um inglês o mesmo regime alimentar de um indiano. Uma vez compreendida essa necessidade de adaptação, importa saber que o vegetarianismo continuado confere ao homem força física e diminui as tensões nervosas.

Finalmente, antes de entregar-se a um regime alimentar, a fim de realizar operação mágica, é preciso concentrar-se no objetivo que se quer atingir e das forças disponíveis. Somando a isto as considerações sobre o ambiente e o clima, pode-se então determinar o número de dias durante os quais o regime deverá ser seguido.

O regime comum deve ser substituído pelo vegetarianismo gradualmente. No início são suprimidos os excitantes, como o café e o álcool; depois, a carne no almoço e no jantar; a seguir, o peixe conservando por mais tempo o uso da manteiga e do azeite.

O regime mais rigoroso é utilizado quando se pretende fazer evocação consciente de formas astrais. Este regime dura oito dias e consiste em uma dieta de legumes cozidos sem sal e, de preferência, colhidos pelo operador. É um regime que somente deve ser empregado no campo. Nas grandes cidades, de vida agitada, onde tudo gravita em torno da esfera passional ...os ensaios do regime vegetariano exclusivo são desastrosos. Temos constatado fenômenos evidentes de anemia cerebral em várias pessoas que tentaram seguir estritamente este regime ao qual ninguém pode resistir mais de seis meses.
p 130 - 131 - 132 - 133 - 136

 

Regime Animal

Os alimentos vegetais atuam sobre o centro emocional ou instintivo, involuntário. Os alimentos do reino animal atuam sobre o centro passional e desenvolvem de um modo considerável a resistência do organismo aos impulsos vindos quer do exterior, que da vontade. O regime animal convém, principalmente, aos de ação na vida cotidiana ou àqueles que suportam a vida febril das grandes cidades. Este regime deve ser excluído da educação mágica porém, o magista deve conhecer seus efeitos.

Na antigüidade, os animais sacrificados nos templos para alimentação, eram "encantados" antes do sacrifício. O sacerdote sacrificador fazia um ritual, uma prece, cujo objetivo era promover a separação entre o corpo físico e corpo astral e assim evitar o sofrimento do animal. Em tais condições, a carne consumida era astralmente boa e não desenvolvia nenhuma faculdade má no ser humano.

Atualmente, os animais são assassinados industrialmente em uma atmosfera de horror, revolta e sofrimento sem medida. A conseqüência deste fato é que os contemporâneos não absorvem somente a carne; absorvem ao mesmo tempo a cólera, a revolta e o embrutecimento. Se os profanos não compreendem e zombam destas verdades, outros compreenderão e saberão o motivo da tradição da prece antes de começar uma refeição, qualquer que seja a religião. É uma necessidade verdadeira na época atual para afugentar as más influências astrais. p 136 - 137

 

Excitantes Materiais

 
   

Assim como alimentos vegetais atuam sobre os centros nervosos do instinto e os animais sobre os centros passionais, há substâncias que agem sobre o centro intelectual: são os EXCITANTES (drogas). Sabe-se que, no estado normal, uma reserva de força nervosa existe nos plexos nervosos do grande simpático.

A primeira ação de um excitante é influir sobre estas reservas liberando força nervosa armazenada. O efeito produzido é um aumento súbito do fluxo de idéias. O preço deste estímulo, quando passa o efeito da droga, é uma fadiga profunda do organismo que, se for prolongada, pode trazer graves perturbações. Neste estudo, trataremos das propriedades das seguintes substâncias: álcool, café, chá, haschisch (extrato de cannabis sativa ou maconha). p 138


Álcool

Resultado da química dos laboratórios humanos, o álcool, como a maior parte dos excitantes é um dos mais poderosos e também dos mais perigosos. Sua ação, em forma de aguardente (destilados, cachaça, vodka, etc.) é muito rápida porém pouco profunda e de pouca duração. Sob a influência do álcool, uma grande quantidade de força nervosa é liberada e o espírito fica como que iluminado pela riqueza de idéias que surgem e se relacionam no centro intelectual.

O álcool não se presta portanto aos trabalhos demorados de análise, de dedução; adequa-se unicamente à concepção de idéias matrizes que, se não forem anotadas na hora, em geral, perdem-se no esquecimento depois do sono que advém ao cessar o efeito do excitante.

Como foi dito, a ação do álcool dura pouco. Não se deve recorrer a uma segunda dose em uma mesma ocasião. A ingestão de uma segunda dose, na esperança de prolongar os efeitos da primeira, é inútil e perigosa. A vivacidade intelectual dá lugar a um embotamento da percepção e do discernimento: a embriaguês.

A combinação do álcool destilado com açúcares resulta em um outro tipo de excitante alcoólico: o licor. A ação dos licores é mais lenta que ação do destilado puro. O licor age mais intensamente sobre os desejos e pode fortalecer momentaneamente a capacidade de realização da vontade em ocupações intelectuais.

O destilado puro, atua sobre as necessidades físicas e emocionais. É preferível o licor às "águas ardentes" sempre que o objetivo for uma ação. O álcool "seco", sem açúcar, é mais indicado à meditação ou trabalho de concepção de idéias. p 139 - 140

 

Café

O café é o mais poderoso dos excitantes no que diz respeito à duração dos efeitos. O café coado, produz dois resultados perfeitamente distintos:

1º) Durante a primeira hora que se segue a sua ingestão, o café opera sobre o plexo nervoso do abdômen e, ajudado pelo calor, facilita o trabalho digestivo permitindo ao espírito dispor de maior quantidade de força nervosa corrente, ou seja, sem recorrer às reservas.


2º) Duas ou três horas após a ingestão, o café começa a operar na esfera intelectual e esta ação dura de uma a duas horas para cada xícara. Assim, se for tomado a uma hora da tarde, a ação psíquica começa às 3 e continua até as 5. Depois disto, o estômago vazio e ocioso, torna o trabalho intelectual ainda mais fácil.

Quem pretende usar o café como estimulante deve se preparar para isso, preparando suas anotações, traçando seus esquemas e esboços antes de começar a trabalhar. O melhor horário de uso é pela manhã, em jejum ou em quase jejum. Entretanto, é necessário estar prevenido contra as reações adversas. Em pessoas nervosas o café pode provocar uma espécie de "ressaca", crises de tristeza. Por isso, o emprego do café é mais seguro em pessoas vigorosas e deve ser evitado pelos fracos e anêmicos.
p 140 - 141


Chá

A excitação intelectual fornecida pelo chá é intermediária entre a do álcool e a do café; esta excitação, porém é muito suave. O chá torna o indivíduo melancólico e enfraquece paulatinamente os centros nervosos. Temos visto freqüentemente anemias nervosas graves em estudantes russos que abusaram do chá.

Este excitante possui a faculdade de sustentar um trabalho intelectual continuado. Por isso, é o único que pode ser empregado nos períodos de realização. O defeito capital do chá é atuar muito profundamente sobre os centros nervosos de modo que o período de reparação do organismo é muito longo. A anemia nervosa provocada pelo chá manifesta-se pela ausência total de iniciativa e coragem. p 142

 

Haxixe

O haschisch (haxixe) é uma das drogas mais perigosas do ponto de vista psicológico. Muita gente pensa que esta substância proporciona visões sublimes e êxtase. Isso não é verdade. É preciso saber usar o haxixe.

Tal como o ópio, porém com ação mais intensa, o haxixe libera rapidamente toda a reserva de força nervosa ativando a esfera intelectual de modo que as idéias pré-existentes ao uso da droga são exageradas, amplificadas de modo prodigioso. Isso implica existência de idéias antes da queima do haxixe.

Quando as idéias originais são vulgares, vulgares também são as impressões que resultam do uso do haxixe. Um experimentador, tendo usado o haxixe sem uma idéia pré-concebida e esperando o que ia suceder, simplesmente dormiu e sonhou que era um cachimbo e que fumava a si próprio. O haxixe é um amplificador e não um criador. A reação adversa, pós-efeito, freqüentemente se apresenta como sensação de angústia e ocorrência de pesadelos.

Sob o ponto de vista mágico, o uso de todas as drogas aqui mencionadas encerra uma boa dose de perigo. Elas aumentam o império do ser impulsivo sobre a vontade e é preciso uma autoridade muito forte sobre si mesmo para não se deixar dominar por estas substâncias, que são a encarnação da alma do mundo na matéria.
p 142 - 143

 

 

 

Respiração
resumo introdutório

São aspectos da matéria ou corpo físico do ser humano:

1  - O Vegetal-Mineral, movido por necessidades e metabolismo involuntário.
2 - O animal. Inclui as necessidades, o metabolismo involuntário porém é caracteristicamente movido por desejos ou PAIXÕES.
3 - Intelectual, movido pelos hábitos e condicionamentos culturais, motivado por lógica comportamental.

Os três aspectos coexistem e se revezam na predominância que exercem sobre o SER EM CONDIÇÃO HUMANA, em circunstâncias diversas. Os aspirantes a Magos empregam métodos, práticas, estudos, exercícios a fim de submeter estes aspectos do físico denso-orgânico à MENTE LIVRE, que é o homem verdadeiro, o Homem Superior, o INDIVÍDUO REAL que antecede à personalidade, entidade efêmera e determinada por fatores socio-culturais. Nos tópicos anteriores, vimos que alimentos e drogas (excitantes) são usados para modificar as condições de ação e reação do corpo físico. No tópico a seguir, Papus fala sobre os meios de influir sobre o corpo astral.

Passamos rapidamente em revista os modificadores do corpo físico, alimentos e excitantes. Chegamos agora aos modificadores do corpo astral: o ar atmosférico e os perfumes, as substâncias voláteis, quando misturadas ao ar inspirado, operarem diretamente sobre os pulmões.

...O ar inspirado constitui o modificador do sangue mais rápido de que se dispõe. A substância volátil aspirada age diretamente sobre o sangue e no momento mesmo em que o glóbulo vermelho sofre a ação vitalizante do ar atmosférico inspirado.

Três aspectos são importantes no estudo da respiração como modificador do corpo astral:

1 - A ação do ar sobre o sangue, sob o ponto de vista da força nervosa.
2 - O ritmo respiratório e as modificações que esse ritmo opera na disposição do homem.
3 - A ação dos excitantes do corpo astral ou os perfumes. p 145 - 148

O ritmo respiratório age sobre os centros nervosos de maneira notável. A inspiração rápida age como excitante; a inspiração lenta e sobretudo a expiração prolongada e espaçada, acalmará os centros nervosos.

...O pulmão e o coração podem ser considerados como duas rodas com engrenagens entrosadas uma na outra, o que faz com que o aumento do ritmo respiratório seja reproduzido no ritmo cardíaco com reflexos em todo o sistema circulatório. A respiração é, pois, o dispositivo mecânico-orgânico que restabelece o equilíbrio dos fluxos sempre que este equilíbrio se perde por um distúrbio qualquer. p 145 - 146

 

Como Usar a Respiração — Dicas de Papus

Na embriaguês: quando um excitante material, como o álcool, tiver esgotado uma parte da força nervosa, é pela respiração que a reparação imediata se fará, caso ela possa ser feita. A aspiração trará dinamismo reparador e a expiração eliminará uma parte do álcool absorvido. Todavia, será preciso graduar bem a respiração do bêbado.

Para obter um resultado positivo a respiração deverá muito lenta e muito profunda, pois uma respiração rápida produziria um efeito contrário. ...Daí o perigo do ar livre para os ébrios, os quais, saindo da mesa em estado de febre, respiram muito depressa e são, conforme uma de suas expressões, "estuporados' pelo meio exterior. p 148

 

Respiração e Magia: o magista deve exercitar-se em fazer muitas vezes largas (lenta e longa) inspirações verificando cuidadosamente o efeito produzido sobre seu organismo bem como a duração desse efeito. Cada ação importante deverá sempre ser precedida de três inspirações profundas, feitas pensando fortemente na ação que se deve empreender.

O efeito da respiração, agindo como excitante intelectual, será aumentado se a pessoa se move enquanto faz as referidas inspirações. Eis porque um passeio após a refeição substitui facilmente os excitantes materiais.

O ar inspirado é o alimento do corpo astral. Os perfumes são substâncias capazes de excitar o corpo astral, o ser anímico. Três tipos de perfume são notáveis considerados sob o ponto de vista de seus efeitos sobre o homem:

o incenso leva a orar, o almiscar a amar, a fumaça do tabaco a dormir

* INCENSO e seus análogos: operam sobre psíquico e são excitantes intelectuais.

* ALMISCAR - influi sobre o ser anímico, o corpo astral, porém despertando impulsos instintivos.

* TABACO (cigarros) - também age sobre o ser instintivo com ligeira excitação intelectual a princípio. p 150

 

Educação do Ser Psíquico

O objetivo mágico é a submissão total do ser impulsivo ao Homem de Vontade. O magista não deve tolerar nenhuma sujeição, nenhuma emoção reflexa, sem estar em condições de opor-se às mesmas. Nos tópicos anteriores abordamos o uso dos alimentos e o estudo da respiração que permitem favorecer o desenvolvimento das aptidões mágicas.

Devemos agora considerar a SENSAÇÃO. Encontrais diariamente pessoas que vos dizem: "Não posso tocar em veludo" ou "Não suporto cheiro de lírio" ou ainda "Sempre que vejo um sapo sinto-me desfalecer". Pois bem, todas estas repulsões instintivas, todas estas emoções, puramente reflexas, devem ser implacavelmente dominadas pelo estudante de Magia, o que constitui um processo de educação da Vontade.

Quando falamos em vencer estes impulsos antipáticos dos sentidos, não significa que se deva passar a gostar do antes se rejeitava. Longe disso, pretendemos que a vontade seja suficientemente desenvolvida para ser capaz de se opor à manifestação impulsiva das sensações. O reflexo se produzirá sempre porém o objetivo da educação mágica é fortalecer a vontade a fim dominar os atos reflexos. Uma vontade capaz de vencer reflexos é uma vontade poderosa.
p 151- 153

 

comentário

As SENSAÇÕES, resultado das capacidades receptoras-perceptoras dos orgãos dos sentidos, são agradáveis ou desagradáveis em função de fatores circunstanciais. O gostar ou não gostar de certas sensações é um tipo de "juízo" condicionado que fica retido na memória. A sensação se reproduz porque a memória, ao recuperar o conhecimento, ao trazê-lo de volta à consciência, recupera relacionando o objeto à sensação primitiva de agrado ou desagrado.


TATO e o PALADAR se referem ao corpo físico e aos instintos. OLFATO, ao corpo astral e ao centro anímico (centro da alma astral); AUDIÇÃO relaciona-se ao ser psíquico e ao centro intelectual. VISÃO, pertence ao Homem de Vontade

TATO — Qualquer que seja a sensação, viscosa ou de outra espécie, produzida pelo contato de um animal ou de um corpo, é preciso acostumar-se a percebê-la sem a menor emoção, sobretudo se esta sensação é desagradável. Além disso, um asseio constante e minucioso é indispensável para manter os orgãos do tato e todo o organismo em perfeito estado. Aconselhamos também, o banho diário quase frio, tomado ao levantar e seguido de uma fricção de óleo ou de uma infusão de verbena. Estas práticas são indispensáveis durante os oito dias que antecedem uma operação mágica. p 152

PALADAR — É preciso exercitar-se em apreciar os pratos que se come mesmo quando não são do agrado do experimentador. O mesmo aconselhamos com relação às bebidas usuais, como o leite e a cerveja. Estas práticas, aparentemente inúteis, são da mais alta importância para domar o instinto, o qual, se não estiver dominado, entrava, mais tarde, todos os esforços do magista. É necessário, também, exercitar-se em variar as horas de refeição e diminuir progressivamente a quantidade de alimentos ingeridos, voltando depois ao regime habitual. p 152

OLFATO — A educação do olfato por meio de perfumes deve ser contínua, pois ela permitirá observar bem os efeitos das diversas substâncias aromáticas sobre o centro anímico (corpo-alma astral). É preciso habituar-se a vencer as antipatias por este ou aquele odor floral, dos alimentos etc.. Toda repugnância física é de origem reflexa. p 153

 

AUDIÇÃO — A educação da audição é das mais importantes para o magista. Tal como a vista, a audição é a chave do senso estético. Para tanto, é necessário familiarizar-se com os sons, tanto os sons musicais quantos os sons em geral, do meio ambiente, dos ruídos urbanos aos sussurros da natureza.

A educação musical se faz pelo processo óbvio de se dedicar à apreciação de diferentes ritmos, com especial atenção para a música clássica ocidental, os concertos para piano, óperas etc.. além da música contemporânea de todas as tendências. Paralelamente, a educação da audição é complementada com sessões de relaxamento e/ou meditação com especial atenção voltada para o sons, seja o som ambiente, seja uma música escolhida para este fim. Neste caso, a preferência é para as peças instrumentais, sem vocais. Também é recomendável, para os ocidentais, buscar sonoridades de diferentes culturas: indiana, africana, árabe, chinesa, japonesa. p 153

 

Música — Excitante Intelectual

A música comove diretamente a alma e as ordens religiosas assim como as antigas sociedades iniciáticas, têm em grande conta este fato; mas o centro psíquico só é susceptível de comover-se na proporção direta de seu grau de desenvolvimento. Há uma grande diferença entre a maneira pela qual, um operário, um burguês, as pessoas, sendo diferentes, percebem a música. Diferentes gêneros de música são simpáticas ou antipáticas para diferentes classes de seres humanos.

A música, na sua qualidade de excitante intelectual, é tão variada que pode adaptar-se às necessidades de todos os seres humanos qualquer que seja a sua educação física....Podemos, em linhas gerais fazer a seguinte classificação:

* a música instintiva, representada pela cançoneta, o bal musette e o café-concerto.

* Música anímica, o "gênero eminentemente francês", desde a marcha militar e o canto nacional até a ópera cômica.

* Música intelectual que, para o povo é a "romanza" e, para p artistas, uma ópera de Wagner. p 156 - 157

VISÃO — A freqüência aos museus e a meditação diante das obras dos mestres, principalmente pela manhã, facilitam a educação estética da vista. O chá poderá ser empregado para ajudar. Porém, em se tratando de educação da vista, o ponto mais importante é o domínio absoluto, pela vontade, sobre as emoções que são despertadas por percepções visuais, pelas imagens, especialmente quando são visões estranhas ou inesperadas.

Estas emoções podem produzir-se a qualquer momento porém devem ser dominadas no mesmo instante pela ação enérgica da vontade. A maior parte das iniciações antigas atentavam muito a este ponto.

Perder a cabeça diante da visão de algo inesperado é perder o controle da Vontade e sucumbir aos reflexos do ser impulsivo, submetendo o Ser Imortal aos terrores que assombram mortais, sempre assustados com qualquer coisa que se pareça com o que chamam de "manifestações do além". Ora, as entidades astrais, por exemplo, só podem empregar o medo contra um experimentador isolado em seu círculo e magicamente armado (pentáculos, signos, espada, bastão, aura própria).

...Compreende-se porque o treinamento, a educação da vista e o domínio constante da vontade sobre as emoções é tão importante para aqueles que querem fazer experiências difíceis, como a evocação consciente. Mas apressemo-nos a dizer que estas experiências são raras na prática mágica e muitas outras existem que não requerem tão minuciosas preparações nem este rigoroso treinamento. p 154 - 155

 

Educação do Ser Instintivo
homem mineral-vegetal

Tendes dificuldade em realizar vossas idéias, apesar de as conceberdes facilmente? Sentis embaraço em continuar em trabalho um tanto extenso, embora o trabalho da imaginação se efetue por si mesmo? Isso quer dizer que em vosso ser prepondera demasiadamente o centro instintivo sobre o intelectual.

É preciso reagir senão jamais realizareis qualquer projeto e vos tornareis, pouco a pouco, um desses ociosos falastrões de café que despertam admiração a um auditório pela originalidade e vigor de suas idéias mas que são impotentes para construírem coisas. Pessoas assim dão origem à categoria dos invejosos vencidos pela vida que passam as noites nas mesas dos bares.

O trabalho de realização implica um sofrimento ao qual é preciso habituar-se sob pena de morte intelectual. Com efeito, durante a realização o espírito se materializa, o que é uma dor contra a qual reage e só pode ser aniquilada, a nosso ver, por dois meios:

1. o hábito de realizar sempre à mesma hora.

2. o embrutecimento consciente e a materialização do espírito obtidos pelo desenvolvimento do ser instintivo.

É um erro grave desprezar o corpo físico e suas necessidades; este erro é a causa da impotência intelectual, do misticismo improdutivo e até da loucura. A Natureza deu ao homem uma tríplice parelha para se conduzir na vida e não é matando o animal desta parelha que se chega onde se quer. Na vida terrena, é o corpo físico, o animal, quem sustenta a disposição orgânica do homem durante as tarefas mais longas e estafantes. É necessário, pois, "coagular" ou concentrar a força nervosa pela educação do ser instintivo. São recomendados neste treinamento:

ALIMENTOS: Refeições substanciais ricas em vegetais.

BEBIDAS: (excitantes) Leite e cerveja.

RESPIRAÇÃO: Lenta e pouco profunda.

PERFUMES: Tabaco

SENSAÇÃO: Paladar

MÚSICA: Lenta, monótona, fácil.

HORA PROPÍCIA: A tarde, de preferência ao anoitecer

Certos artistas de temperamento naturalmente ativo, substituem instintivamente este trino material pelo hábito de realizar seus trabalhos em um horário determinado. Emile Zola, dizem, tinha por hábito escrever (ou seja, realizar) cinco a seis páginas de trabalho todas as manhãs. Este momento, é com efeito, aquele em que o espírito, saindo do sono com o máximo de força, está o mais calmo possível. p 159 - 160

 

Educação do Homem-animal

Há certos homens de rosto pálido, de olhar profundo, pensadores notáveis, muitas vezes realizadores fecundos mas que se não se resguardam contra adversidades materiais não tardam a sucumbir aos golpes do destino implacável.

São talentos maravilhosos condenados ao aniquilamento desde o seu nascimento. Eles não têm bastante resistência orgânica para atividades materiais e a origem deste tipo de ânimo é o sangue. Ora, o animal, no homem, não é naturalmente preparado para suportar as adversidades próprias da civilização. Os egípcios e, mais tarde, os gregos, exigiam de seus filósofos as provas físicas, cuja preparação era a ginástica. O treinamento do animal estabelece a seguinte rotina:

ALIMENTOS: Carnes assadas, caça.

BEBIDAS: (excitantes) Vinho

RESPIRAÇÃO: Rápida e profunda.

PERFUMES: Almíscar

SENSAÇÃO: Olfato

MÚSICA: Marchas

HORA PROPÍCIA: Imediatamente após as refeições.
p 161

 

Educação do Homem Racional

Tendes grandes mãos e dedos grossos, contais com um vigor muito grande para o trabalho porém tendes também grande dificuldade de assimilação rápida e compreensão artística? Queres aguçar vosso ser intelectual; queres pôr vosso trabalho e até vosso apetite à serviço do cérebro? Confiai em vossa memória, já que a tendes excelente.

Mas atentai que será preciso aprender a vencer as necessidades e os apetites que constituem quase toda a vossa existência. Será preciso dominar sempre os acessos de cólera que vos invadem a cada contrariedade. Será preciso praticar os exercícios intelectuais que recomendamos sobre a sensação e a música. Acrescentai a isto o regime seguinte e dentro de seis meses, eu vos prometo, afinareis sua alma e apreciareis sensações refinadas que antes lhe eram indiferentes.

ALIMENTOS: Frutas e laticínios, ovos, pouca carne, açúcar.

BEBIDAS: (excitantes) Café, uma vez ao dia e chá, duas vezes, durante um dia, a cada semana. Como bebida habitual, água pura ou ligeiramente misturada com vinho.

RESPIRAÇÃO: Rápida com expiração bem gradual.

PERFUMES: Incenso apreciado durante ritual de prece.

SENSAÇÃO: O ouvido deve ser desenvolvido assim como a vista.

MÚSICA: Sacra, concertos sinfônicos, ópera, música clássica.

HORA PROPÍCIA: Sempre em jejum, pela manhã, das 7 as 11 horas. Durante a tarde, das 5 as 7 horas. Para realizar, prefira o período da manhã; para criar, o início da noite.
p 162

 

O Amor na Formação do Mago

O amor é o estimulante do Homem de Vontade, do Espírito Livre. Porém, devemos estar atentos ao emprego tão comum e leviano que se faz da palavra AMOR. Para o Homem Superior, o melhor estimulante, aquilo que o move, não uma substância, um perfume ou mais arrebatadora das músicas. Para comover o espírito imortal é seu recôntido mais profundo é necessário esse fenômeno, que conforme seja vivenciado, pode ser a pior ou a mais elevada experiência existencial: o amor.

O amor é um catalisador de relações que funciona através de uma espécie de interação eletromagnética. O amor é afinidade misteriosa da atração entre os átomos assim como é a atração entre dois seres humanos. O amor é o grande móvel de todo ser criado. Há dois caminhos principais que conduzem o fenômeno do amor: um é o sexual, instintivo, o ato fecundador que é a mais material manifestação de amor. O outro caminho é o êxtase, uma satisfação mais espiritual e elevada.

Aquele que foge do amor terreno e carnal não saberá jamais resistir-lhe. Entretanto, deixar-se arrastar pelo mais poderoso dos sentimentos, em qualquer de suas manifestações é assaz perigoso. O imprudente que apela para a Magia para satisfazer uma paixão amorosa, não passa de um ignorante ou um tolo, porque procura armas para combater no momento mesmo em que se confessa vencido.

O magista não deve ser dominado pelo afeto amoroso assim como também não deve desconhecê-lo. A castidade absoluta só é exigida do experimentador durante quarenta dias que precedem operação mágica. Mas se magista deve saber resistir à cólera e ao ódio que sente nascer em si, melhor ainda deve saber dirigir a potência do amor quando ela se apresenta no seu caminho.

O fato é que na medida em que o ser psíquico se eleva, refina seus gostos, novos amores se revelam ao homem e a Cabala nos ensina que o sábio, consagrando seus esforços e suas vigílias ao culto desinteressado da verdade, será ajudado em seus trabalhos pela presença cada vez mais perceptível da alma irmã, entidade astral que sacrifica sua evolução pessoal pela do bem amado.

Aí está um dos mistérios mais profundos dos "mistérios do amor"; só aqueles que estudaram a cabala penetrarão o segredo. ...Da mesma forma que o homem do mundo, experiente, sabe distinguir as amorosas das vendedoras de amor, o magista deve saber reconhecer o amor verdadeiro onde quer que ele se manifeste, assim como precisa saber distinguir os vendedores que desonram o templo mais sagrado de todos. p 171 a 175 - texto adaptado

 

Sexo & Castidade

O amor, que identificamos como excitante do ser total é um centro de expressão relacionado à GERAÇÃO. A geração pode ser psíquica, fisológica ou física. A união de dois cérebros para o mesmo fim cria idéias vivas; a união de dois corações dedicados a um mesmo ideal cria sentimentos que sobrevivem à morte física; a união física (sexual) de dois seres dá origem às criaturas.

A ciência do magista consiste em substituir progressivamente os prazeres da procura do amor físico pelos deleites mais delicados, os sentimento duráveis e depois, pelos entusiasmos menos enganadores das criações intelectuais.

O homem que considera o amor físico, o sexo, como o eixo fundamental do bem estar ou da realização na existência, está condenado ao mal estar a à frustração inevitáveis pois, com o passar dos anos o vigor sexual se dissipa, e se não conhece outros prazeres, fica desprovido de interesse pela vida e torna-se presa fácil da apatia, do desânimo.

O controle dos impulsos sexuais exige um treino longo e progressivo. Somente a ignorância justifica a imposição de uma castidade absoluta aos jovens recém iniciados e que ignoram quase tudo da vida . Os maiores dentre os fundadores de ordens religiosas eram, ao contrário, velhos militares ou pessoas já cansadas do mundo e seus prazeres. Santo Agostinho é um bom exemplo, pois somente ingressou num mosteiro depois de passar toda a juventude entre estudos e amores profanos.

É evidente que quem visa desenvolver poderes excepcionais deve achar-se em condições de resistir às sugestões do sexo. Os ritos mais rigorosos impõem, ao menos, quarenta dias de abstinência aos práticos mais treinados, antes de qualquer operação mágica. O objetivo é: 1) não dissipar uma energia qualitativamente preciosa, que é a energia sexual ou geradora; 2. Evitar trocas energéticas nocivas que podem resultar do ato sexual.

Não é proibido ao magista amar; mas ele não deve, absolutamente, deixar-se dominar pelo amor a tal ponto de sua vontade aniquilada pelo ser desejado e/ou amado. Os impulsos do amor devem ser tratados como reflexos sobre os quais o homem de vontade (e mulheres também) deve manter predomínio completo a todo instante.

Em boa parte dos casos, os parceiros sexuais ou amorosos não admitem por muito tempo partilhar o ser amado com a Magia, rival cujos encantos aumentam com o tempo ao passo que os atrativos do amor passam, decaem, como tudo que se refere ao plano material.

O processo de adaptação do magista deve, pois, capacitar o Iniciado a ceder ou resistir ao amor conforme sua vontade. Um ser humano cuja esfera superior é desenvolvida deve saber deter-se no instante em que uma paixão amorosa vai manifestar-se, especialmente se é um sentimento caracteristicamente "passionale" (de paixão), ou seja, um desejo do Ser Passivo que tenta se impor ao Ser de Vontade.

O indivíduo que exerce uma função sacerdotal deve ser casto e abster-se de carne durante os quinze dias que precedem e os quinze dias que seguem o desempenho do sacerdócio porque, em verdade, realiza um ato de Alta Magia. Deve-se dominar as sugestões do amor com todo o esforço de uma vontade enérgica, porém nunca ignorar seus mistérios. A prática alterna períodos mais ou menos longos de abstinência absoluta, períodos consagrados ao estudo, ao trabalho e às ocupações da vida cotidiana.
p 202 a 205 - texto adaptado

 

 

 

 

 

 




 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 




      

 

edições: Sofä da Sala
2008 | 2010 | fevereiro, 2012 | junho, 2016

ligiacabus@gmail.com

 SOFÄ DA SALA NO FACEBOOK