OCULTISMOBLOG  SOFÄ DA SALA | BLOG BRAZIL WEIRD NEWS

 

 


       

 

 


 

 

 


 

FICHAMENTO

Dogma e Ritual da Alta Magia
[século XIX]
AUTOR: LEVI, Eliphas. [Trad. Rosabis Camayasar]
São Paulo: Ed Pensamento, 1995

 


SUMÁRIO

I. DEFINIÇÃO DE MAGIA

II. RELIGIÃO UNIVERSAL

III. OBRAS MÁGICAS

IV. PREPARAÇÃO DO MAGO

V. PURIFICAÇÃO

VI. PARA SER MAGO

VII.EDUCAÇÃO DA VONTADE

VIII. DISCRIÇÃO ABSOLUTA

IX. MAGOS E ANIMAIS

X. PERIGOS DA MAGIA

XI. IMAGINAÇÃO

XII. DIABO

XIII. SUPERSTIÇÃO

XIV. MAGIA E BRUXARIA

XV. ENFEITIÇAMENTOS

XVI. MULHERES

XVII. TRANSMUTAÇÕES

XVIII. POÇÕES

XIX. MAU OLHADO

XX. NECROMANCIA

XXI. MAGIA E CRISTIANISMO

XXII. REIS MAGOS

XXIII. ORÁCULOS

XXIV. AMOR

XXV. MORTE

XXVI. VERBO

XXVII. MAGNETISMO

XXVIII. REALIZAÇÕES

XXIX. PENTAGRAMA

XXX. RITUAIS E TALISMÃS

XXXI. VIA CRUCIS

XXXII. Biografia
de Eliphas Levi


XXXIII. ESPECIAL
Baphomet por E. Levi

 

INTRODUÇÃO

 

Através de todas as alegorias hieráticas e místicas dos antigos dogmas, através das trevas e provas bizarras de todas as iniciações, sob o sêlo de todas as escrituras sagradas, nas ruínas de Nínive ou Tebas, sobre as pedras carcomidas dos antigos templos e na face escurecida das esfinges da Assíria e do Egito, nas pinturas monstruosas ou maravilhosas que produzem para o crente da Índia as páginas sagradas dos Vedas, nos emblemas estranhos dos nossos velhos livros de alquimia, nas cerimônias de recepção praticadas por todas as sociedades misteriosas, encontram-se os traços de uma doutrina em toda parte a mesma e em toda parte escondida cuidadosamente.

 

A filosofia oculta parece ter sido a nutriz ou matriz de todas as forças intelectuais, a chave de todas as obscuridades divinas, e a rainha absoluta da sociedade, nos tempos em que era exclusivamente reservada à educação dos padres e dos reis.

 

Ela reinava na Pérsia com os magos... ela dotara a Índia das tradições mais maravilhosas e de um terrível luxo de poesia, graça e terror nos seus emblemas; ela civilizara a Grécia aos sons da lira de Orfeu; ela escondia o princípio de todas as ciências e de todos os progressos do espírito humano nos cálculos audaciosos de Pitágoras... A esta ciência, dizia a multidão, nada é impossível. (...)

 

Eis o que fora a magia desde Zoroastro até Manés, desde Orfeu até Apolônio de Thyana, quando o cristianismo positivo, triunfando enfim dos belo sonhos e das gigantescas aspirações da escola de Alexandria, ousou fulminar publicamente com seus anátemas esta filosofia, e a reduziu, assim, a ser mais oculta e mais misteriosa que nunca. [p 50]

 

DEFINIÇÃO DE MAGIA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A magia é a ciência tradicional dos segredos da natureza, que nos vem dos magos. [p 74]

 

A arte hermética é, pois, ao mesmo tempo uma religião, uma filosofia e uma ciência natural. Como religião é a dos antigos magos e iniciados de todos os tempos; em filosofia podemos encontrar seus princípios na escola de Alexandria e nas teorias de Pitágoras; como ciência, é preciso pedir os seus processos a Paracelso, Nicolau Flamel e Raimundo Lullo.

 

 

 




 

 

 

 

RELIGIÃO UNIVERSAL

A ciência conserva-se pelo silêncio e perpetua-se pela iniciação. A lei do silêncio, não é, pois, absoluta e inviolável senão para a multidão não iniciada. ... Sim, os sábios devem falar, não para dizer, mas para levar os outros à procura. ... o destino do homem é ... fazer ou criar a si próprio; ele é e será filho de suas obras no tempo e na eternidade. ...

 

Os homens que são senhores de si próprios, facilmente se tornam senhores dos outros ... [Porém, para alcançar este domínio é preciso reconhecer as "leis de uma disciplina e de uma hierarquia universal." Reconhecer estas leis implica colocar-se em estado "ligação" ou "re-ligação", estado de religião consigo próprio e com o sistema de forças interagentes no qual, o próprio homem está inserido.

 

Esta disciplina de "religião", ou simplesmente "esta religião sempre existiu no mundo e é a única que pode ser chamada de una, infalível, indefectível e verdadeiramente católica, isto é, universal. Esta religião, da qual todas as outras são véus e sombras, é que demonstra O SER pelo SER, a VONTADE pela RAZÃO, a RAZÃO pela EVIDÊNCIA e o SENSO COMUM.

 

[Esta religião] ... é a que tem por base o DOGMA DAS ANALOGIAS UNIVERSAIS, mas também nunca confunde as coisas da ciência com as da fé. ... Mas esta religião razoável não poderia ser a da multidão, que precisa de fábulas, mistérios, esperanças definidas e terrores materialmente motivados. Por isso o SACERDÓCIO foi estabelecido no mundo e o sacerdócio se recruta pela iniciação. (p 299 | 300)

 

 

OBRAS MÁGICAS

 

As obras mágicas são de uma onipotência relativa e o meio de apoderar-se dos maiores segredos da natureza é fazê-los servir a uma vontade esclarecida e inflexível. ... As operações mágicas são o exercício de um poder natural mas superior às forças ordinárias da natureza. São o resultado de uma ciência (conhecimento) e de um hábito [prática continuada]. ...

 

O sobrenatural é simplesmente o natural extraordinário ... um milagre é um fenômeno que impressiona ... porque é inesperado ... surpreende os que ignoram suas causas ... Só há milagres para os ignorantes; mas como não existe ciência absoluta entre os homens, o milagre ainda pode existir, e existe para todos. ... Mas para fazer milagres é preciso estar fora das condições comuns da humanidade; é preciso estar ou abstraído pela sabedoria, ou exaltado pela loucura, acima de todas as paixões.

... Assim, por uma lei providencial ou fatal, o mago só pode exercer a onipotência na razão inversa de seu interesse material... Vós, pois, que procurais na magia o meio de satisfazer vossas paixões, parai neste caminho funesto; só achareis nele a loucura ou a morte, conforme a tradição popular: mais cedo ou mais tarde o diabo acaba por torcer o pescoço dos feiticeiros. [p 239 | 240]

 

 

DIVINDADE HUMANA

 

Deus age pelas suas obras: no céu opera pelos (através dos) anjos e na terra pelos homens. Logo, no círculo de ação dos anjos, os anjos podem tudo que é possível a Deus e no círculo de ação dos homens, os homens dispõem, igualmente, da onipotência divina. ...O domínio do homem é toda natureza corporal e visível na terra ...pode modificar a atmosfera, agir até certo ponto sobre as estações, conservar a vida e dar a morte. ...

 

O poder absoluto sobre a própria razão e a própria vontade é o maior poder que o homem pode alcançar e é por meio deste poder que (o mago) opera, deixando espantada a multidão que, então, fala em MILAGRE. A mais perfeita pureza de intenção é indispensável ao taumaturgo; depois lhe é necessária uma corrente favorável e uma confiança ilimitada. O homem que chegou a nada desejar e a nada temer é o senhor de tudo. ... Na Terra, nada resiste a uma vontade razoável e livre. Quando o sábio diz: "Eu quero", é o próprio Deus que quer e tudo o que ordena se realiza. [p 385 - 386]

 

 

PREPARAÇÃO DO MAGO ─ ADESTRAMENTO

 

"... para fazer milagres, é preciso estar fora das condições comuns da humanidade. (...) O magista deve ser impassível, sóbrio e casto, impenetrável e inacessível a toda espécie de preconceitos ou terror. ... A primeira e mais importante das obras mágicas é chegar a esta rara superioridade. ...

 

Quereis reinar sobre vós mesmos e os outros ? Aprendei a querer. ... A preguiça e o esquecimento são inimigos da vontade. ... Que e preciso fazer primeiramente ? ... Levantar-vos todos os dias à mesma hora e cedo; lavar-vos em qualquer estação, antes do dia, numa fonte; nunca trazer roupas sujas, e, para isso, lavá-las vós mesmos, se for preciso; submeter-vos às privações voluntárias, para melhor suportar as involuntárias; depois impor silêncio a todo desejo que não seja o da realização da grande obra. ... Um preguiçoso nunca será mago.

 

A magia é um exercício de todas as horas e de todos os instantes. É preciso que o operador das grandes obras seja senhor absoluto de si mesmo; que saiba vencer as atrações do prazer, o apetite e o sono; que seja insensível ao sucesso como à afronta "... [LEVI, op.ct. vol II, capítulo I ─ As preparações]

 

 

PURIFICAÇÃO

 

A purificação do mago deve consistir na abstinência das voluptosidades brutais, num regime vegetariano e brando, nas supressões dos licores fortes e na regularidade das horas de sono. Essa preparação foi indicada e representada, em todos os cultos, por um tempo de penitências e privações...

 

É preciso observar ... a limpeza mais escrupulosa. ... É preciso também lavar ou mandar lavar com cuidado as roupas, os móveis e os vasos que se usam. Toda sujidade atesta negligência, e, em magia, negligência é mortal... É preciso purificar o ar, ao levantar-se e deitar-se... Não devemos falar com ninguém das obras que realizamos... o mistério é condição rigorosa de todas as operações da ciência. É preciso desviar os curiosos, alegando outras ocupações... mas a palavra proibida da magia nunca deve ser pronunciada...

 

O mago deve isolar-se no começo, e mostrar-se muito difícil em relações, para concentrar em si sua força e escolher os pontos de contato... É preciso evitar, tanto quanto possível, a vista das coisas horrendas e das pessoas feias; não comer em casa das pessoas que não se estimam, evitar todos os excessos e viver de modo mais uniforme e organizado... [245]

 

 

 

POSTURA MENTAL

 

Para se preservar das más influências a primeira condição é evitar que a imaginação se exalte. Todos os exaltados são mais ou menos loucos ...Ponde-vos pois acima dos temores pueris e desejos vagos; crede na sabedoria suprema ...Deus é visível nas suas obras, e nada pede aos seres contra as leis da natureza deles ...

 

Fé, confiança; tende confiança não nos homens que vos falam mal da razão, porque são loucos ou impostores, mas sim na eterna razão que o verbo divino, esta luz verdadeira, oferecida, como o sol, à intuição de toda a criatura humana ...Se acreditardes na razão absoluta e se desejais mais do que tudo a verdade e a justiça, não deveis temer ninguém e só amareis os que são amáveis. A vossa luz natural repelirá instintivamente os malvados ...Assim, até as substâncias venenosas que poderiam vos ser administradas não afetarão a vossa inteligência. (p 379)

 

The Alchemist de David Teniers
IMAGEM CLÁSSICA DE UM MAGO
IN Eric Moore Personal Alchemy
http://www.fyndo.com/life.html

A formação de um mago é essencialmente holística.
Seus estudos são amplos e abrangem todas as áreas
da ciência: humanas, exatas e naturais como física,
química, biologia, etc. além das práticas destinadas
ao condicionamento e integração entre o corpo e a mente.

 

SER MAGO

 

A magia, que os antigos chamavam Sanctum Regnum, o Santo Reino ou Reino de Deus, Regnum Dei, só é feita para os reis e padres. Sois padre? Sois rei? ...O homem que é escravo de suas paixões ou dos preconceitos deste mundo não poderia ser um iniciado; ele nunca se elevará enquanto não se reformar; não poderia, pois, ser um adepto, porque a palavra adepto significa aquele que se elevou por sua vontade e suas obras.[(p 72]

 

Para adquirir o poder mágico são necessárias duas coisas: desembaraçar a vontade de toda servidão e exercê-la [submetê-la, à VONTADE] à dominação. ... Querer bem, querer por longo tempo e querer sempre, tal é o SEGREDO DA FORÇA. [p 280]

 

Aquele que se entrega às obras da ciência deve fazer, cada dia, um exercício moderado, abster-se das vigílias muito prolongadas e seguir um regime são e regular. Deve evitar as emanações cadavéricas, a aproximação de águas apodrecidas, os alimentos indigestos e impuros. Deve, principalmente, distrair-se todos os dias das preocupações mágicas por trabalhos quer de arte, de indústria ou ofício. O meio de ver bem é não olhar sempre, e aquele que passasse a vida visando sempre um mesmo fim, acabaria por nunca atingi-lo. [p 278]

 

Um homem verdadeiramente homem só pode querer o que deve ... por isso, impõe silêncio aos desejos e ao temor, para escutar a razão. Um homem assim é um rei natural e um sacerdote espontâneo para as multidões errantes. Por isso o objeto das iniciações antigas se chamava indiferentemente arte sacerdotal. As antigas associações mágicas eram seminários de sacerdotes e reis e a pessoa só podia ser admitida nelas por obras verdadeiramente sacerdotais e reais, isto é, pondo-se acima de todas as fraquezas humanas ...

 

[O iniciado das antigas tradições] ... abandonava inteiramente sua vida e sua liberdade aos mestres do templo de Tebas ou de Mênfis. ... Abjurar momentaneamente a sua liberdade [ou hábito?] ... eis o que devem fazer e sempre fizeram os que aspiram ao Sanctum Regnum da onipotência mágica. Os discípulos de Pitágoras condenavam-se a um silêncio rigorosos de vários anos. ... A vida é uma guerra em que é preciso dar provas para subir um grau: FORÇA não se obtêm do nada; é preciso tomá-la. A iniciação pelas provas é indispensável para chegar à ciência prática da magia. [p 300 | 302]

 

 

 

EDUCAÇÃO DA VONTADE

 

Muitas pessoas dirão que ... a força de vontade e a energia de caráter são dons da natureza. Não discordo disso, mas reconheço também que o hábito pode refazer a natureza; a vontade pode ser aperfeiçoada pela educação e ... todo cerimonial mágico ... só tem por objetivo experimentar, excitar e habituar assim, a VONTADE à perseverança e à força. Quanto mais as práticas são difíceis e humilhantes, tanto mais têm efeitos; agora, deveis compreendê-lo. ... As cerimônias, as vestimentas, os perfumes, os caracteres e as figuras são instrumentos de exercício da imaginação e educação da VONTADE [p 281 | 283]

 

 

 

DISCRIÇÃO ABSOLUTA

 

Não vos vanglorieis das obras que operastes ... Meditai sobre a duodécima figura das chaves do Taro (O Enforcado, em seu aspecto de Iniciado) ... e calai-vos. ... O mago deve viver no retiro ... É o que representa o símbolo da nona chave do Taro (O Ermitão), em que o iniciado é figurado por um eremita inteiramente envolto em seu manto. Todavia, este retiro não deve ser o isolamento. Ele precisa de devotamentos e amizades; mas deve escolhê-las com cuidado e conservá-las a todo preço. Deve ter uma outra profissão que não seja a de mago; a magia não é um ofício. Para se entregar à magia cerimonial é preciso estar sem preocupações inquietadoras; é preciso poder adquirir todos os instrumentos da ciência ... é preciso, enfim, ter um laboratório inacessível, onde não haja risco de ser surpreendido ou perturbado. [p 296 | 296]

 

 

MAGOS E ANIMAIS

 

O homem que se libertou da cadeia dos instintos perceberá primeiramente sua onipotência pela submissão dos animais. ... Raramente um homem tem alguma coisa a recear de um animal do qual não tem medo. [p 281]

 

 

 

PERIGOS DA MAGIA

 

Como já dissemos várias vezes, as operações da magia não são isentas de perigo. Podem levar à loucura ... Podem excitar o sistema nervoso e produzir terríveis e incuráveis doenças. ... Nada é mais perigoso do que fazer da magia um passatempo, como certas pessoas que fazem dela as diversões das suas tardes. [p 295]

 

 

IMAGINAÇÃO

 

Um dos poderes mais estranhos da imaginação humana é o da realização dos desejos da vontade ou até de seus temores e apreensões. A pessoa crê facilmente no que teme ou no que deseja, diz o provérbio, e tem razão, porque o desejo e o temor dão à imaginação uma força realizadora, cujos efeitos são incalculáveis.

 

 

DIABO

 

... o diabo não é uma pessoa. É uma força desviada, como, aliás, o nome indica. Uma corrente ódica ou magnética, formada por uma cadeia de vontades perversas, constitui esse mau espírito, que o evangelho chama Legião ...Satã, como personalidade superior e como potência é a personificação de todos os erros, perversidades e, por conseguinte, personificação de todas as fraquezas. ... O dogma de Zoroastro, a lei mágica das duas forças que constituem o equilíbrio universal, mal entendido, foi utilizado doutrinariamente para explicar as aberrações da magia negra.

Esta deturpação, o MANIQUEÍSMO, deu origem à concepção de uma divindade negativa ...Esse deus mau, nascido da imaginação dos sectários, tornou-se o inspirador de todas as loucuras e de todos os crimes. Ofereceram-lhe sangrentos sacrifícios; a idolatria monstruosa substituiu a verdadeira religião; a magia negra fez caluniar a alta e luminosa magia dos verdadeiros adeptos e houve nas cavernas e nos lugares desertos, horríveis conventículos de feiticeiros, vampiros e estriges: porque a demência logo se muda em frenesi e dos sacrifícios humanos à antropofagia há somente um passo. [p 279 - 338 - 339]

 

 

SABBAT - TRANSE E ALUCINÓGENOS

 

Para um grande número de infelizes ...o Sabbat era simplesmente um longo pesadelo ...obtido por meio de beberagens, fumigações (queima de ervas e perfumes) e fricções narcóticas. Porta (que já apontamos como um mistificador) ...dá, na sua Magia Natural, a pretensa receita do ungüento das feiticeiras ...Ele o compõe com gordura de criança, acôntido fervido com folhas de álamo e algumas outras drogas ...As composições opiáceas, a seiva ou essência de cânhamo, entrariam com não menos sucesso em tais composições. A gordura ou o sangue das aves noturnas, junto com esses narcóticos e ainda a cerimônia da magia negra podem ferir a imaginação e determinar a direção dos sonhos. [p 339]

 

 

 








 



 
















 







 

  MAHA-ESTUDO: DOGMA & RITUAL DA ALTA MAGIA de ELIPHAS LEVI ESTUDO DO LIVRO por Ligia Cabús

SUPERSTIÇÃO

 

   

 

Superstição é uma palavra latina que significa sobreviver. É o sinal que sobrevive ao pensamento; é o cadáver de uma prática religiosa. [p 197]

 

 

DIFERENÇA ENTRE MAGIA E BRUXARIA

 

Há uma verdadeira e uma falsa ciência, uma magia divina e uma magia infernal, isto é, mentirosa e tenebrosa; temos que revelar uma e desvendar outra; temos que distinguir o mago do feiticeiro e o adepto do charlatão. O mago dispõe de uma força que conhece, o feiticeiro procura abusar do que ignora. (...) O mago é o soberano pontífice da natureza, o feiticeiro não passa de um profanador. [p 73]

 

ENFEITIÇAMENTOS

 

...afirmamos sem temor que o enfeitiçamento é possível. (...) não só é possível como também é, de algum modo, necessário e fatal. Realiza-se sem cessar, no mundo social, sem conhecimento dos agentes e pacientes. O enfeitiçamento involuntário é um dos mais terríveis perigos da vida humana. (...) Há, pois, duas espécies de enfeitiçamentos: o enfeitiçamento involuntário e o enfeitiçamento voluntário. Pode-se também distinguir o enfeitiçamento físico do enfeitiçamento moral. ...o enfeitiçamento “POR CORRENTE” é uma coisa muito comum, como notamos; somos levados pela multidão, no moral como no físico. As doenças morais são mais contagiosas do que as doenças físicas, e os sucessos de predileção e moda [os fenômenos dos modismos] ...poderíamos comparar à lepra ou ao cólera-morbo. [p 177 | 178]

 

 

MULHERES

 

O que contribui para tornar histéricas as mulheres (século XIX) é sua educação débil e hipócrita. Se fizessem mais exercícios, se lhes ensinassem as coisas do mundo ...elas seriam menos caprichosas, menos vaidosas, menos fúteis e, por conseguinte, menos acessíveis às más seduções. A fraqueza sempre se simpatiza com o vício, porque o vício é uma fraqueza que se dá a aparência de uma força. [p 379]

(Um homem) Aquele que se quer fazer amar (por uma mulher) ...deve, primeiramente, fazer-se notar e produzir uma impressão qualquer na imaginação da pessoa que deseja. Que a encha de admiração, espanto ou terror, de horror até, se só tiver este expediente; mas é preciso a todo preço que, para ela, ele saia da posição dos homens comuns e que tome, de boa ou má vontade, um lugar na sua memória.[p 373]

Uma grande decepção para o amor próprio de certas mulheres honestas é descobrir que, no íntimo, o homem a quem tomavam por um bandido, é, na verdade, bom e irreprovável. Desprezam então o bonachão dizendo-lhe: "Tu não és o diabo!". Disfarçai-vos, pois, em diabo o mais perfeitamente possível, vós que quereis seduzir um anjo. ...A posição de um homem de grandes princípios e caráter rígido somente é encantadora para mulheres imunes aos truques de sedução; todas as outras, sem exceção, adoram os maus homens.[p 373]

Pode-se dizer que o amor, principalmente na mulher, é uma verdadeira alucinação. ...Sendo dado este conhecimento transcendental da mulher, há uma segunda manobra a se operar para atrair sua atenção: é não se ocupar dela ou ocupar-se de um modo que humilhe seu amor próprio, tratando-a como uma criança e afastando qualquer hipótese de estar lhe fazendo a corte. Então, os papéis mudarão: ela fará tudo para vos tentar, ela vos iniciará nos segredos que as mulheres se reservam, vestir-se-á e despir-se-á diante de vós, dizendo coisas como estas: "Entre mulheres, entre velhos amigos, não vos temo, não sois homem para mim" etc. ... aproximar-se-á de vós sob um pretexto qualquer, vos roçará com seus cabelos, deixará o roupão se abrir...p 374 - 375]

 

 

TRANSMUTAÇÕES

 

As transmutações e metamorfoses foram sempre,na opinião do vulgo, a própria essência da magia. Ora, o vulgo, ...jamais acerta ou se engana completamente. A magia muda realmente a natureza das coisas ou, antes, modifica à sua vontade as aparências ... A palavra cria sua forma ...As coisa são, para nós, o que o nosso verbo interior as faz serem. Julgar-se feliz é ser feliz. ...Muitas vezes, sob o domínio de uma forte preocupação, OLHAMOS SEM VER ..."Fazei com que olhando não vejam" disse o o grande iniciador ...que, um dia, vendo-se a ponto de ser lapidado no templo, se fez INVISÍVEL e saiu. (Capítulo xIV - p 329 | 333]

 

 

POÇÕES

 

Atacamos, agora, o abuso mais criminoso que se pode fazer das ciências mágicas: é a magia, ou antes a feitiçaria envenenadora. ...Se a justiça humana, usando de rigor contra os adeptos, só tivesse atingido os necromantes e feiticeiros envenenadores ...seus rigores teriam sido justos (...) contra semelhantes celerados. ...João Baptista Porta, em sua Magia Natural, dá uma receita do veneno dos Bórgias... Podemos, pois, dar aqui a receita de Porta, somente para satisfazer a curiosidade dos nossos leitores.

 

O sapo, por si mesmo, não é venenoso, mas é uma esponja de venenos. Tomai, pois, uma grande sapo, diz Porta, e prendei-o numa garrafa com víboras e áspides (sinônimo de pequena cobra venenosa); dai-lhes para alimento, durante vários dias, cogumelos venenosos, a digital e a cicuta, depois irritai-os, batendo-lhes, queimando-os, atormentando-os de todas as maneiras, até que morram de raiva e fome. Salpicai-os então de escuma de cristal pulverizado e eufórbio (raiz venenosa da família da mandioca). Depois, pô-los-ei numa redoma bem fechada e fareis secar lentamente toda a sua umidade pelo fogo. Em seguida, deixareis esfriar e separeis a cinza dos cadáveres ... O pó fará dessecar e envelhecer em alguns dias, depois morrer no meio de horríveis sofrimentos, ou uma atonia geral, aquele que tiver tomado uma pitada misturada com sua bebida.

 

É preciso convir que esta receita tem uma fisionomia mágica das mais feias ... Eram semelhantes pós que os feiticeiros da Idade Média ... vendiam a grande preço à ignorância e ao ódio; era pela tradição de semelhantes mistérios que espalhavam o espanto nos campos e chegavam a lançar sortes. Uma vez ferida a imaginação, uma vez atacado o sistema nervoso, a vítima perecia rapidamente ... Só a operação destas más obras e a realização destes horríveis mistérios constituíam e confirmavam o que então era chamado de pacto com o mau espírito. É certo que o operador devia pertencer ao mal de corpo e alma... [p 192 | 195 | 196]

 

 

AMÊNDOAS E NICOTINA

 

O ácido prússico é um terrível agente de envenenamento do pensamento. É por isso que é preciso evitar qualquer destilação que tenha o gosto de amêndoa, afastar do quarto de dormir as amendoeiras e os daturas, os sabonetes de amêndoas, os leites de amêndoas e, em geral, todas as composições de perfumaria em que o cheiro das amêndoas dominarem, principalmente se sua ação sobre o cérebro for reforçada pelo âmbar.

O emprego do fumo, como o tabaco ...é um auxiliar perigoso dos filtros entorpecedores e dos envenenamentos da razão. A nicotina, como se sabe, não é um veneno menos violento que o ácido prússico e se acha em maior quantidade no fumo que nas amêndoas. [p 375 - 376]

 

 

MAU OLHADO

 

No Norte, onde os instintos são mais reprimidos e mais vivazes; na Itália, onde as paixões são mais expansivas e mais ardentes, ainda são temidas as sortes e o mau olhado em Nápoles, a jettatura não é desafiada impunemente a , e até reconhecemos, por certos sinais exteriores, os seres desgraçadamente dotados deste poder. Para garantir-se contra isso, é preciso trazer consigo chifres, dizem os práticos, e o povo, que toma tudo ao pé da letra, apressa-se em enfeitar-se com pequenos cornos, sem pensar no SENTIDO DA ALEGORIA. Os chifres, atributos de Júpiter Amon, Baco e Moisés, são SÍMBOLOS da força moral e do entusiasmo; e os magos querem dizer que para desafiar a jettatura, é preciso DOMINAR POR UMA GRANDE OUSADIA, um grande entusiasmo ou um GRANDE PENSAMENTO a CORRENTE fatal dos instintos. [p 196]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NECROMANCIA & GOETHIA

 

As evocações (de espíritos) devem ser sempre motivadas e ter um fim louvável; de outro modo são operações das trevas e de loucura, muito perigosas paera a razão e a saúde. Evocar por pura curiosidade ...é estar já disposto a afadigar-se só com prejuízo. ...O motivo louvável de uma evocação pode ser o amor ou a inteligência (busca de conhecimento).

 

 

RECEITA PARA EVOCAÇÃO DOS MORTOS!!!

 

Os processos da magia negra têm por fim perturbar a razão e produzir todas as exaltações febris que dão coragem para os grandes crimes. ...É assim que, no Grande Grimório ...encontram-se processos de necromancia que consistem em:

 

1. Cavar a terra dos túmulos com as unhas e deles tirar ossos que devem ser conservados no peito em forma de cruz.

 

2. Assim "paramentado", assistir à missa da meia-noite, em uma igreja, na noite de Natal (Missa do Galo) e, no momento da elevação, levantar-se e fugir exclamando: "Que os mortos saiam de seus túmulos!".

 

3. Voltar ao cemitério, tomar um punhado de terra que se ache bem perto de um caixão, voltar correndo para a porta da igreja, cujos assistentes terá espantado com a cena anterior, e ali depor os dois ossos arrumados em cruz exclamando de novo: "Que os morto saiam de seus túmulos!"; e se não houver, então, ninguém para vos prender e levar para o hospício, o necromante deve afastar-se a passos lentos e contar 4 mil e 500 passos sem se de nada se desviar e sem olhar para trás

 

4. No fim desta caminhada de 4 mil e 500 passos, espalhareis a terra que tens nas mãos em forma de cruz e deitar-vos-ei no chão, assumindo a postura de um cadáver e repetireis mais uma vez: "Que os mortos saiam de seus túmulos!" e evocareis por fim aquele que desejais que apareça. [RITUAL, Capítulo XV - p 328]

 

 

 

 

MAGIA E CRISTIANISMO

 

Imagem Fonte: Pesquisa Google-Imagens - word-key: deus

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SINAL DA CRUZ

 

O sinal da cruz pelos cristãos não lhes pertence exclusivamente. É cabalístico e representa as oposições e o equilíbrio quaternário dos elementos. Primitivamente, havia duas maneiras de o fazer ... uma reservada aos padres iniciados; a outra oferecida aos neófitos e profanos ... o iniciado,levando a mão à testa (e continuando o gesto conhecido), dizia: A TI PERTECEM: O REINO, A JUSTIÇA E A MISERICÓRDIA NOS CICLOS GERADORES ... [p 269]

 

 

REIS MAGOS

 

A estrela alegórica dos magos outra coisa não é senão o misterioso pentagrama; e estes três reis, filhos de Zoroastro (discípulos), guiados pela estrela flamejante ao berço do Deus microcósmico, seriam suficientes para provar as origens inteiramente cabalísticas e verdadeiramente mágicas do dogma cristão. Um destes reis é branco, outro preto e o terceiro é moreno. O branco oferece ouro, símbolo da vida e da luz; o preto oferece mirra, imagem da morte e da noite; e o moreno apresenta o incenso, emblema do dogma divino, conciliador dos dois princípios (vida e morte); depois voltam ao seu país por um outro caminho, para mostrar que um culto novo é simplesmente um novo caminho para levar a humanidade à religião única, a do ternário sagrado (Santíssima Trindade) e do irradiante pentagrama, um único catolicismo... [p 275 | 276]

 

 

ORÁCULOS

 

A adivinhação, que se faz pelas quatro formas elementares (através), são chamadas: aeromancia, hidromancia, piromancia e geomancia, Com efeito, os quatro elementos são simplesmente instrumentos para ajudar a segunda vista... Os temperamentos sanguíneos são mais dispostos à aeromancia, os biliosos à piromancia, os pituitosos à hidromancia e os melancólicos à geomancia.

 

A aeromancia confirma-se pela ONEIROMANCIA ou adivinhação pelos sonhos; supre-se a piromancia pelo magnetismo (“leitura” da aura), a hidromancia pela cristalografia (“leitura” nos cristais), e a geomancia pela cartomancia. ... Mas a adivinhação, de qualquer modo que a operemos, é perigosa ou, ao menos, inútil, porque desanima a vontade, embaraça a liberdade e fatiga o sistema nervoso. [p 271]

 

 

 

SOBRE O AMOR

 

Pode verdadeiramente vencer a voluptosidade do amor, somente quem venceu o amor da voluptosidade. Poder usar e abster-se, é poder duas vezes. O amor vos prende pelos vossos desejos: sede senhor dos vossos desejos e prendereis o amor. ... Dispõe do amor dos outros quem é senhor do seu. Quereis possuir, não vos deis.

 

Quando a atmosfera magnética de duas pessoas é de tal modo equilibrada que o atrativo de uma aspira a expansão da outra, produz-se uma atração que se chama simpatia; então, a imaginação ... se faz um poema de desejos que arrastam a vontade e produz [nas pessoas envolvidas] em embebedamento completo de luz astral, que se chama de paixão propriamente dita ou amor.

 

O amor é um dos grandes instrumentos do poder mágico; mas é formalmente interdito ao mago, ao menos como embebedamento ou como paixão. ... O amor sexual é sempre uma ilusão, porque é o resultado de uma miragem ... A luz astral é o sedutor universal, figurado pela serpente do Gênese. Para apoderar-se dela, [da serpente, do amor como tipo de energia] é preciso, como a mulher predestinada, por o pé sobre sua cabeça.

 

A luz astral dirige os instintos animais e dá combate à inteligência... A antipatia outra coisa não é senão o pressentimento de um enfeitiçamento possível, enfeitiçamento que pode ser de amor ou de ódio, porque se vê, muitas vezes, o amor suceder à antipatia. (...) As paixões humanas produzem fatalmente, quando não são dirigidas, os efeitos contrários ao desejo desenfreado. O amor excessivo produz a antipatia...

 

 

MORTE

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eugène Delacroix: The Death of Ophelia, 1843 ─ Litografia

 

 

 

A morte é um fantasma da ignorância; ela não existe: tudo é vivo na natureza e, porque tudo é vivo, tudo se move e muda incessantemente de formas. A velhice é o começo da regeneração ...O corpo é uma vestimenta da alma. Quando esta vestimenta está completamente gasta ou grave e irreparavelmente danificada, a alma a deixa ...A morte não é nem o fim da vida nem o começo da imortalidade; é a continuação e a transformação da vida.

 

 

 

VERBO

 

A vida se prova pelo movimento. ...os desenvolvimentos da vida por si mesma e sua produção de formas novas, nós chamamos criação. A potência inteligente que age no movimento universal, chamamo-la o verbo, de um modo transcendental e absoluto. [LEVI, 1995 - p. 18].

 

O homem é o taumaturgo da terra, e pelo seu verbo, isto é, pela sua palavra inteligente, dispõe das forças fatais. Irradia e atrai como os astros ...eis o segredo terrível que era escondido com tanto cuidado nas sombras dos antigos santuários. [p 43]

 

Que é um princípio? É uma base de palavra, é uma razão de ser do verbo ... a inteligência é um princípio que fala. ... Que é a luz intelectual? É a palavra (...) o ente é o princípio, a palavra é o meio e a plenitude ou o desenvolvimento, e a perfeição do ente é o fim; falar é criar. [p 71]

 

 

 

VERBO, FORMA E LUZ ASTRAL

 

Toda forma é véu de um verbo, porque a idéia, mãe do verbo, é a única razão de ser das formas. Toda figura é um caráter, todo caráter pertence e volta a um verbo. ... a forma é proporcional à idéia.
[p 77, 78]

 

Todas as formas correspondem a idéias, e não há idéia que não tenha sua forma própria e particular. A luz primordial (campo de ressonância mórfica), veículo de todas as idéias, é a mãe de todas as formas e transmite-as de emanação em emanação, apenas diminuídas ou alteradas por causa da densidade dos meios. ... a luz astral ou o fluido terrestre, que chamamos o grande agente mágico, está saturado de imagens ou reflexos de toda espécie os quais a nossa alma pode evocar e submeter ...

 

Estas imagens sempre nos estão presentes e somente se acham apagadas pelas impressões mais fortes da realidade durante a vigília, ou pelas preocupações do nosso pensamento, que deixa nossa imaginação desatenta ao panorama móvel da luz astral. Quando dormimos, este espetáculo se apresenta por si mesmo a nós, e é assim que se produzem os sonhos... [p 111]

 

O verbo perfeito é ternário, porque supõe um princípio inteligente, um princípio que fala e um princípio falado. (...) A própria gramática atribui três pessoas ao verbo. A primeira é a que fala, a segunda é aquela a quem se fala, a terceira é aquela de quem se fala. O princípio infinito, ao criar, fala de si mesmo a si mesmo. [p 91]

 

 

 

COMENTÁRIO:

O Verbo Perfeito Ternário refere-se às três pessoas da conjugação verbal: eu, tu, ele e seus plurais ou, ainda, como em teoria da comunicação, o emissor, o receptor e o conteúdo da mensagem. Em semiótica a semiose na relação entre sujeito(s) emissor(es), signo(s), e sujeitos(s) receptor(es). A estrutura básica da sintaxe também se compõe pela relação de três elementos: sujeito, verbo e objeto ou, agente, ação e paciente.

 

A divindade é trina e seu mistério pode ser traduzida por analogia com a expressão do pensamento e da fala. Deus é agente, ato e paciente. É Aquele que fala DE SI MESMO PARA SI MESMO. O Verbo é Criador neste ato de expressão lingüística que desencadeia o surgimento de todas as coisas. Na aparente simplicidade do pensar-dizer EU SOU o Deus-Um se faz Trino e afirmando sua consciência de SER, percebendo-se ontologicamente, realiza este SER, que é infinito em suas manifestações.

 

 

 

 

 

MUNDO INVISÍVEL

 

Não há mundo invisível, há somente vários graus de perfeição nos órgãos. ... A alma pode perceber por si mesma e sem intermédio dos órgãos corporais (...) Espiritual e corporal são palavras que somente exprimem os graus de tenuidade ou densidade da substância. O que se chama, em nós, imaginação, não é mais que propriedade inerente à nossa alma de se assimilar as imagens e os reflexos contidos na luz viva, que é o grande agente magnético. ... Assim, para o sábio, imaginar é ver, como, para o mago, falar é criar. [p 109]

 

 

 

SISTEMA DE VIBRAÇÕES E CORRENTE MAGNÉTICA

 

Uma vontade lúcida pode agir sobre a massa da luz astral, e, com o concurso de outras vontades que absorve e arrasta, determinar grandes e irresistíveis correntes. ...a luz astral se condensa ou se rarifica, conforme as correntes a acumulam, mais ou menos, em certos centros.

 

...Todo esforço inteligente da vontade é uma projeção de fluido ou luz humana, e aqui importa distinguir a luz humana da luz astral ...Servindo-nos da palavra fluido, empregamos uma expressão generalizada ...mas estamos longe de dizer que a luz latente seja fluido. Tudo nos levaria, pelo contrário, a preferir, na explicação deste ente fenomenal [luz astral], o sistema de vibrações. [p 118]

 

O corpo absorve o que o rodeia e irradia sem cessar, projetando seus miasmas e suas moléculas invisíveis; o mesmo acontece com o espírito, de modo que este fenômeno, chamado por alguns místico o respiro, tem realmente a influência que lhe é atribuída, quer no físico, quer no moral. É realmente contagioso... achar-se no círculo de atração e expansão dos malvados. [p 119]

 

 

 

REALIZAÇÃO

 

As realidades ...constituem as proporções do ideal, e o mago só admite como certo, no domínio das idéias, o que é demonstrado pela realização da palavra ...Um pensamento se realiza tornado palavra [nome, como em santo Agostinho, 1980]; esta [palavra, nome, idéia referência] se realiza pelos sinais, sons e figuras de sinais; é este o primeiro grau de realização. Depois ela se imprime na luz astral por meio ...da escrita ou da palavra [fala, voz articulada]; ela influi sobre outros espíritos, refletindo-se neles; se refrata atravessando o diáfano dos outros homens, aí toma formas e proporções novas, depois se traduz em ato e modifica a sociedade e o mundo; é este o último grau de realização. [p 128]

 

 

 

PENTAGRAMA, SIGNO DO PODER

 

Os espíritos elementais são submissos a este signo, quando o é empregado com inteligência ...Todos os espíritos criados se comunicam entre si por sinais e aderem a um certo de número de verdades expressas por certas formas determinadas. ...Paracelso ...afirma que todas as figuras mágicas e todos os signos cabalísticos dos pentáculos aos quais os espíritos obedecem, se reduzem a dois ...o signo do macrocosmo ou o selo de Salomão ...e o do microcosmo, ainda mais poderoso que o primeiro, isto é, o pentagrama...

 

Se perguntarem como um signo pode ter tanto poder sobre os espíritos elementais, perguntaremos, por nossa vez: por que o mundo cristão se prosternou diante do sinal da cruz? O sinal por si mesmo nada é, e só tem força pelo dogma de que é resumo e verbo. Ora, um signo que resume, exprimindo-as, todas as forças ocultas da natureza, um signo que sempre manifestou aos espíritos elementares e outros um poder superior (...) naturalmente os enche de respeito e temor e os força a obedecer, pelo império da ciência e da vontade sobre a ignorância e a fraqueza. [p 112-115]

 

 

 

 

AS PALAVRAS OCIOSAS

 

Os pensamentos que não se traduzem em palavras são pensamentos perdidos para a humanidade; as palavras que não são confirmadas por atos são palavras ociosas, e não há grande distância da palavra ociosa à mentira. [p 131]

 

 

 

 

CORRENTE MAGNÉTICA OU CADEIA MÁGICA

 

Todo entusiasmo propagado numa sociedade, por uma continuidade de comunicações e práticas firmes, produz uma corrente magnética e se conserva ou aumenta pela corrente. A ação da corrente é arrastar e, muitas vezes, exaltar fora da medida as pessoas impressionáveis e fracas, as organizações nervosas, os temperamentos dispostos ao histerismo e às alucinações.

 

Estas pessoas se tornam poderosos veículos da força mágica, projetam com força a luz astral na própria direção da corrente; opor-se, então, às manifestações de força, seria, de algum modo, combater a fatalidade. ...os círculos mágicos e as correntes magnéticas se estabelecem por si mesmos e influem, conforme leis fatais [p 150]

 

Formar a cadeia magnética é fazer nascer uma corrente de idéias que produza a fé e arraste um grande número de vontades num círculo dado de manifestações pelos atos. Uma cadeia bem formada é um turbilhão que arrasta e absorve tudo. Podemos estabelecer a cadeia de três modos: pelos sinais, pela palavra e pelo contato. ...Os sinais, uma vez recebidos e propagados, adquirem força por si mesmos.

 

A vista e a imitação do sinal da cruz eram suficientes, nos primeiros séculos, para fazer prosélitos ao cristianismo. ...A imaginação é criadora, não somente em nós, mas também fora de nós, pelas nossas projeções fluídicas ...A imprensa é um admirável instrumento para formar a cadeia magnética pela propagação da palavra. Com efeito, nenhum livro é perdido, os escritos vão sempre onde devem ir e as aspirações do pensamento atraem a palavra. [p 308/311]

 

 

 

SIGNOS

 

Todo signo corresponde a uma idéia e tem a forma especial de uma idéia. (p 251)

 

 

 

 

 

RITUAIS E TALISMÃS

 

Para o magista todos os pensamentos e rituais são signos combinados no sentido de expressar um pensamento e uma vontade:

 

"As cerimônias, as vestimentas, os perfumes, os caracteres e as figuras, sendo, como já dissemos, necessários para empregar a imaginação na educação da vontade, o sucesso das obras mágicas depende da fiel observação de todos os ritos. [Estes ritos são fundamentados] pelas leis essenciais da realização analógica e da relação que existe necessariamente entre as idéias e as formas" [p 283]

 

 

O verdadeiro magista enfeitiça sem o cerimonial e somente pela reprovação àqueles que julga necessário punir; enfeitiça até pelo seu perdão os que lhe fazem mal, e nunca os inimigos dos iniciados ficam impunes de suas más ações. ...

 

Os enfeitiçamentos dos feiticeiros são de uma outra sorte e podem ser comparados a verdadeiros envenenamentos de uma corrente de luz astral[As cerimônias que praticam servem para “exaltar” a VONTADE a fim de fazê-la agir à distância.] ...Denunciemos aqui alguns de seus processos reprováveis:

 

Procuram ou solicitam cabelos ou roupas da pessoa cuja vida querem influenciar. Quando querem amaldiçoar, escolhem um animal que, a seus olhos, seja o símbolo da vítima. Os cabelos e pedaços da roupa são costurados ao animal, seja no corpo, seja dentro da boca.

 

Chamam o animal pelo nome da vítima, depois matam-no com só golpe de uma faca “mágica”, abrem-lhe o peito, arrancam-lhe o coração ... e durante três dias, a toda hora, enterram neste coração pregos, alfinetes ou espinhos, pronunciando maldições sobre o nome da pessoa que se pretende enfeitiçar. Acreditam [e muitas vezes com razão] que assim estão atingindo a pessoa simbolizada.

 

[Os procedimentos aqui descritos lembram o princípio do vodoo]. A vítima, muitas vezes previamente e longamente impressionada, pode, de fato, começar a enfraquecer-se e, no fim de algum tempo, morre de um mal desconhecido. ... O enfeitiçamento é mais infalível se a pessoa puder obter cabelos, sangue e, principalmente, um dente da pessoa enfeitiçada. Desta crença surgiu o ditado popular: “Tendes um dente contra mim”.



... As AMEAÇAS são enfeitiçamentos reais quando agem vivamente sobre a imaginação, principalmente se esta imaginação aceita facilmente a existência de um poder oculto ... A terrível ameaça do inferno, este enfeitiçamento da humanidade durante vários séculos, criou mais pesadelos, mais doenças sem nomes e mais loucuras furiosas do que todos os vícios e excessos reunidos.

 

...Mas o enfeitiçamento produz um efeito absolutamente contrário às intenções do operador quando a ameaça é vã, quando se depara com altivez naquele que é ameaçado, quando se depara com resistência... Um grande meio se repelir enfeitiçamentos é não temê-los. O enfeitiçamento age à maneira das doenças contagiosas. Em tempo de peste, os que têm medo são os primeiros atacados. O meio de não temer o mal é não ocupar-se dele. ... [No plano físico, são consideradas medidas de HIGIENE ENERGÉTICA:

 

1. providenciar lavar com cuidado ou queimar peças de roupa e banho quando quiser descartar-se delas. Lavar, se pretende doar;


2. Jamais fazer uso de um vestuário que serviu a um desconhecido sem ter purificado este vestuário pela lavagem e pela fumigação com incensos de cânfora ou âmbar. [LEVI, op. cit. p 353 a 358]

 

 










 









 




 

 

VIA CRUCIS

 

A lenda do Judeu Errante: um povo mandou um sábio ao suplício, dizendo-lhe: “Caminha!” quando ele queria descansar um instante. Pois bem, este povo vai sofrer uma condenação semelhante, vai ser proscrito inteiramente e, durante séculos, dir-lhe-ão: “Caminha!”, sem possa achar piedade ou descanso. [p 353]

 

 

 



 

edições: Sofä da Sala

junho, 2012 | 2998 | 2005
ligiacabus@uol.com.br